Presidente do Corinthians, Augusto Melo, afirma ter sido traído por integrantes da diretoria

polêmica

O presidente do Corinthians, Augusto Melo, abordou as polêmicas ocorridas durante os primeiros cinco meses de sua gestão, incluindo a saída da VaideBet, e afirmou ter sido traído por alguns membros de sua diretoria. Em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira no CT Joaquim Grava, Melo defendeu sua administração, que enfrenta acusações sobre a presença de um “laranja” no contrato de intermediação, e criticou antigos membros da gestão, sem citar nomes.

Leia também: Torcedores são condenados à prisão por racismo contra Vini Jr

Não existe nada provado. Existe o que vocês falaram, é isso o que mais me chateia. Traição. Estou colocando de novo na rota, errei em colocar algumas pessoas aqui. Amigos estarão da porta para fora, os que estão aqui hoje são de verdade e têm competência”, afirmou o presidente.

Acusações e Polêmicas

Melo enfatizou que, apesar das denúncias, ainda não há provas concretas e que os responsáveis pelas alegações serão processados criminalmente. “Não coloco a mão no fogo por ninguém, mas dou autonomia e confiança. Isso (caso VaideBet) vai ser esclarecido, já tem depoimentos que disseram que têm provas e não há. Os que divulgaram serão processados criminalmente. Estamos muito tranquilos”, garantiu.

A polêmica envolve Alex Cassundé, dono da Rede Social Media Design, empresa que receberia R$ 25,2 milhões pela intermediação do patrocínio da VaideBet. Cassundé, que fez parte da equipe de comunicação de Melo durante a campanha eleitoral, é acusado de repassar parte do valor a uma empresa “laranja”, Neoway Soluções Integradas em Serviços Ltda, supostamente em nome de Edna Oliveira dos Santos, uma residente de Peruíbe que desconhecia a existência da empresa.

Relacionamento com Alex Cassundé

Melo negou qualquer relação próxima com Cassundé: “Eu o vi duas vezes. A primeira vez fui fazer uma live na agência dele. Cheguei lá, uma grande estrutura, Vilaron e Sérgio me levaram. E a segunda foi na transição. Nunca falei por telefone, se eu vir aqui talvez nem conheça. Parece que já cruzou algumas vezes e não conheci, me falaram. Nunca conversei, nunca tomei café, nunca almocei e nunca jantei. Não tenho nenhuma relação.”

Defesas e Investigações

No meio da controvérsia, o nome do diretor administrativo Marcelo Mariano também surgiu. Mariano, acusado de envolvimento com os problemas na intermediação do contrato com a VaideBet, assim como o superintendente de marketing afastado, Sérgio Moura, foi defendido por Melo: “A Polícia está verificando quem colocou e quem está envolvido. O nosso compromisso é o Corinthians. O Marcelo Mariano está no clube há vários anos, um diretor competente e até que se prove o contrário. Não se tem que falar em off, eles que provem o que falaram. Não existiu nenhum requerimento sequer, tem coisas muito complicadas em cima disso.

Futuro da Gestão

Apesar das saídas de importantes nomes da diretoria como Rubens Gomes (futebol), Yun-Ki Lee (jurídico) e Rozallah Santoro (finanças), Augusto Melo afirmou não temer um possível impeachment: “Impeachment não existe. E golpe aqui ninguém vai dar. Fui eleito pelo voto, foram 16 anos de uma dinastia e ninguém vai mudar isso. Errei, estamos corrigindo e o impeachment não me assusta.”

Ele concluiu reforçando a sua postura contra a traição dentro do clube: “Foi uma traição, traição vem de onde ninguém se espera. Agora se não tem competência, não estará mais aqui.

Para mais atualizações sobre este caso e outras notícias importantes, siga a gente no Google News clicando aqui.

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1052

Deixe um comentário