Dono da Polishop tem bens penhorados pela justiça, após crise na empresa

FALINDO?

A recente decisão da Justiça de São Paulo trouxe à tona a séria situação financeira pela qual passa João Appolinário, o presidente da Polishop. Conhecido por sua participação no programa Shark Tank Brasil, Appolinário agora enfrenta o desafio de lidar com a penhora de alguns de seus valiosos bens pessoais, incluindo duas lanchas e uma motocicleta Harley-Davidson.

Leia também: México pode eleger 1ª presidente mulher em eleições neste domingo

Essas medidas foram tomadas para saldar uma dívida relacionada ao aluguel de um espaço no shopping Tietê Plaza, em São Paulo, cobrada pela Marfim Empreendimentos Imobiliários. A cobrança, que chega a R$ 351,7 mil, foi revelada pela equipe do colunista Rogério Gentile, do UOL, lançando luz sobre as complicações financeiras enfrentadas pela Polishop, que recentemente entrou em recuperação judicial.

Impacto da Pandemia na Polishop

A Polishop, uma gigante do varejo brasileiro, foi severamente afetada pelo fechamento forçado do comércio durante a pandemia de Covid-19. Esta adversidade, somada à subsequente alta dos juros, impulsionou a empresa a uma dívida estimada em R$ 352 milhões, levando-a ao processo de recuperação judicial para tentar organizar suas finanças e sobreviver ao difícil período econômico.

Reação de João Appolinário à Decisão Judicial

Em um movimento para proteger seus bens, João Appolinário tentou argumentar com uma medida judicial antecipatória que suspenderia as ações de cobrança em andamento. No entanto, o juiz Anderson Mendes, da 9ª Vara Cível do Foro de Santo Amaro, não aceitou esse argumento. Mendes enfatizou que a suspensão das execuções não protegeria o sócio da empresa, que atuou como fiador no contrato. Assim, a ordem de penhora foi mantida e agora o empresário deve informar onde os bens estão localizados para avaliação por parte de um perito.

Próximos Passos para Appolinário e a Polishop

  1. Recuperação Judicial: A Polishop continua em seu processo de recuperação judicial, buscando formas de reestruturar suas dívidas e encontrar um caminho sustentável para o futuro.
  2. Decisão de Penhora: João Appolinário tem a possibilidade de recorrer da decisão de penhora. No entanto, deverá também indicar o local de guarda dos bens penhorados para avaliação.
  3. Venda dos Bens: Avalia-se a possibilidade de venda dos bens penhorados para quitar a dívida com a Marfim Empreendimentos Imobiliários, caso outras tentativas de acordo não sejam bem-sucedidas.

Este episódio destaca os desafios enfrentados por empresários durante períodos de crise econômica e como decisões e garantias anteriores, como a atuação como fiador, podem trazer consequências significativas. Aguarda-se agora o desenrolar dos próximos capítulos deste caso, que combina elementos de direito empresarial e finanças pessoais intrincados e de grande relevância para o mercado empresarial brasileiro.

Siga a gente no Google News para mais atualizações sobre a Polishop e outras notícias do mundo dos negócios! Clique aqui para seguir

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1704

Deixe um comentário