Veja o que muda com o novo ensino médio aprovado pelo Congresso

Texto segue para sanção presidencial e pode trazer mudanças significativas na estrutura do ensino médio no Brasil
mudanças significativas

A Câmara dos Deputados finalizou nesta terça-feira (9) a votação da lei que cria o Novo Ensino Médio. O texto, que já havia sido aprovado em março e alterado pelo Senado, segue agora para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia também: Frio intenso chega ao Brasil e Santa Catarina tem alta possibilidade de neve

Principais Mudanças Aprovadas

Aumento da Carga Horária Obrigatória

  • Atualmente: 1.800 horas para disciplinas obrigatórias e 1.200 horas para optativas.
  • Proposta: 2.400 horas para obrigatórias e 600 horas para optativas.

Receba nossas notícias em tempo real no whatsapp

Disciplinas Obrigatórias

  • Atualmente: Português e Matemática em todos os anos, além de outras disciplinas como Educação Física e Filosofia.
  • Proposta: Português, Inglês, Artes, Educação Física, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas em todos os anos. Espanhol será facultativo.

Itinerários Formativos

  • Atualmente: Definidos pelas redes de ensino.
  • Proposta: Cada escola deve ofertar no mínimo dois itinerários formativos.

Avaliação de Especialistas

Entidades como Todos Pela Educação e associações estudantis vêem positivamente o aumento da carga horária obrigatória. No entanto, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) expressa preocupações sobre a qualidade do ensino e a organização das disciplinas.

Ensino Técnico

  • Atualmente: 1.800 horas para disciplinas obrigatórias e 1.200 horas para ensino técnico.
  • Proposta: 2.100 horas para disciplinas obrigatórias, com 300 horas podendo ser destinadas à formação técnica, e até 1.200 horas para o curso técnico.

Ensino à Distância

  • Proposta: Formação geral básica deve ser oferecida presencialmente, com ensino mediado por tecnologia permitido em casos excepcionais.

Por que Mudou?

A revisão foi motivada por críticas ao modelo aprovado em 2017, implementado em 2021. A nova estrutura visa abordar problemas de infraestrutura e formação de professores, além de garantir maior igualdade no acesso ao ensino superior.

Para mais notícias sobre educação, siga a gente no Google News.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2075

Deixe um comentário