Temporal alaga hospitais em Porto Alegre

TAG Notícias

O forte temporal que atingiu Porto Alegre na noite de terça-feira (16) provocou sérios prejuízos na rede de saúde da capital gaúcha. O Hospital São Lucas, da Pontifícia Universidade Católica (PUC), localizado na Avenida Ipiranga, bairro Partenon, foi fortemente impactado, com o prédio sendo destelhado e áreas internas alagadas.

No Hospital São Lucas, três andares sofreram danos significativos. Tetos de dois leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) desabaram, resultando na interdição dessas unidades. A emergência e o Centro de Diagnóstico por Imagem também foram afetados, com os 10 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) temporariamente indisponíveis. Cirurgias estão sujeitas a restrições ou suspensões, e pacientes de enfermarias foram transferidos.

Leia também: Avião sai de Brasília e faz pouso de emergência após desmaio de piloto

Outra unidade atingida foi o Hospital Fêmina, que suspendeu temporariamente todos os serviços devido aos alagamentos em todos os andares causados pela chuva. Em nota, o hospital assegurou que “os pacientes em atendimento estão protegidos”.

O Hospital de Pronto Socorro também foi afetado, com registros de alagamento no 5º andar e na emergência. O auditório do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas teve vidros quebrados pela ventania. Os hospitais Independência e o Pronto Atendimento da Bom Jesus já estão transferindo pacientes devido aos impactos do temporal. Registros de pontos de alagamento também foram feitos nos hospitais Nossa Senhora da Conceição, Santa Ana e Santa Casa, mas sem danos aos pacientes.

Prontos atendimentos como Cruzeiro do Sul e Lomba do Pinheiro operam com geradores de energia elétrica devido a pontos de alagamentos.

Os serviços de urgência e emergência na capital enfrentam transtornos significativos devido às condições climáticas adversas.

Além dos impactos na saúde, Porto Alegre registrou ventos com rajadas de até 89 quilômetros por hora, segundo medições do Aeroporto Salgado Filho e do Inmet. A prefeitura contabiliza pelo menos 27 postes e cerca de 150 árvores derrubadas, algumas atingindo veículos e residências.

A chuva intensa causou alagamentos em diversas ruas, e, na madrugada desta quarta-feira (17), ainda havia 36 vias com acúmulo de água, conforme a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Nas últimas 24 horas, o bairro Partenon, na Região Leste, recebeu 76 milímetros de chuva, mais da metade da média mensal prevista, que é 142 milímetros, de acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN).

A prefeitura já registrou mais de 80 ocorrências, incluindo quedas de árvores, fios de energia rompidos e alagamentos, concentrando-se principalmente na Região Leste da cidade.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2097

Deixe um comentário