Logo
Virou notícia, virou Tag!

Tarcísio alerta Planalto sobre risco de renovar com a Enel

Governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, destaca preocupações com a renovação do contrato com a Enel, evidenciando apagões frequentes e falta de investimento na concessionária de energia

Facebook
Twitter
LinkedIn
Governador de São Paulo Tarcísio Freitas (Foto: Reprodução)
Governador de São Paulo Tarcísio Freitas (Foto: Reprodução)

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, levantou um alerta nesta quarta-feira (31) sobre os riscos de renovar o contrato com a Enel, concessionária de energia cujo acordo está programado até 2028. Em entrevista coletiva, Tarcísio expressou suas preocupações sobre a possibilidade da Enel continuar atuando no estado, ressaltando a falta de investimentos e os constantes apagões, especialmente após eventos climáticos.

Leia também: Justiça condena Luciano Hang a pagar R$85mi por coagir funcionários

Durante uma reunião com o presidente Lula e os ministros Rui Costa, da Casa Civil, e Silvio Costa Filho, dos Portos e Aeroportos, Tarcísio apresentou suas inquietações em relação ao contrato vigente com a Enel. Ele afirmou que simplesmente prorrogar o contrato com uma empresa que não corresponde e não realiza os investimentos necessários não é uma opção viável.

A Enel ficou sob críticas em novembro do ano passado quando mais de 2 milhões de pessoas ficaram sem energia por cerca de sete dias após um temporal. Desde então, os apagões se tornaram mais frequentes durante períodos de chuva, afetando principalmente a capital do estado.

Siga a gente no Google News para mais notícias

Embora reconheça a dificuldade em romper o contrato existente, Tarcísio destacou a importância de garantir uma nova licitação para uma empresa disposta a investir, algo que, segundo ele, a Enel não está fazendo. A empresa preferiu não comentar sobre as declarações do governador.

Tarcísio também cobrou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que tome medidas punitivas contra a Enel. Ele enfatizou a necessidade de um posicionamento firme, sugerindo a abertura de um processo de caducidade.

No ano passado, a concessionária enfrentou uma CPI na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), que recomendou o fim do contrato e o indiciamento de executivos da empresa.

 

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Deixe um comentário