Justiça condena Luciano Hang a pagar R$85mi por coagir funcionários

TAG Notícias

A Justiça do Trabalho condenou Luciano Hang, empresário e proprietário das lojas Havan, a pagar uma multa de mais de R$85 milhões por coagir seus funcionários a votarem em Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018. O juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis, determinou a sentença, proibindo Hang e sua empresa de repetirem tais atitudes e influenciarem o voto de seus colaboradores.

Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), Hang teria promovido campanhas políticas em apoio a Bolsonaro, forçando seus funcionários a participarem de “atos cívicos” na empresa. O empresário teria intimidado os trabalhadores a votarem no candidato de sua escolha.

Leia também: Polícia apura morte de jovem em encontro com jogador do Corinthians

Em um vídeo datado de 2 de outubro de 2018, Luciano Hang expressou sua visão política aos empregados, afirmando que partidos de esquerda eram alinhados ao comunismo e sugerindo que a Havan poderia fechar lojas caso Bolsonaro não fosse eleito. O juiz determinou o pagamento de uma multa de R$ 500 mil para cada loja da Havan na época, por descumprimento de cautelar que proibia o assédio eleitoral.

A decisão inclui também uma indenização de R$ 1 milhão por danos morais coletivos, revertidos para o Fundo Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de Santa Catarina. Além disso, cada funcionário contratado até outubro de 2018 receberá R$ 1 mil de dano moral individual. Juros e correção monetária também são aplicados.

Siga a gente no Google News

Em entrevista ao portal UOL, Luciano Hang classificou a decisão como “total absurdo”, alegando que não houve irregularidades comprovadas nas perícias feitas na época dos acontecimentos. O empresário criticou a suposta ideologia do juiz e afirmou que o mesmo não seguiu as provas apresentadas.

A condenação, inicialmente imposta pelo desembargador do Trabalho Gilmar Cavalieri, ocorreu após o juiz Carlos Alberto Pereira de Castro considerar as ações de Hang como um “voto de cabresto”, comparando sua conduta à prática política de impor vontades sobre eleitores.

 

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2087

Deixe um comentário