Logo
Virou notícia, virou Tag!

Prefeito de São Paulo arma retomada de túneis bilionários do esquema da Lava Jato

Prefeito Ricardo Nunes planeja reviver projetos de túneis bilionários em São Paulo após paralisação devido à corrupção.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Ricardo Nunes prefeito de São Paulo (Foto: Reprodução / Tag Notícias)
Ricardo Nunes prefeito de São Paulo (Foto: Reprodução / Tag Notícias)

O prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), está se preparando para retomar os projetos de dois túneis bilionários que foram interrompidos devido a investigações de corrupção envolvendo as empreiteiras contratadas pela Prefeitura durante a Operação Lava Jato.

Esses projetos incluem o complexo viário Sena Madureira, que consiste em um túnel conectando a Rua Sena Madureira à Avenida Domingos de Morais, na Vila Mariana, e o túnel da Avenida Jornalista Roberto Marinho, que ligaria a via à Rodovia dos Imigrantes, ambos localizados na zona sul de São Paulo.

Leia também: Brasil: Contas do governo têm resultado negativo de R$ 35,9 bilhões em julho

A previsão é que os novos editais para a licitação dessas obras sejam lançados até o final de setembro. A ideia é que o prefeito Nunes aproveite parte dos projetos originais elaborados durante a gestão do ex-prefeito Paulo Maluf (1993-1996) e faça ajustes para adequá-los às atuais necessidades da cidade, contratando novas construtoras para executar os serviços.

Ambas as obras tiveram contratos firmados durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) entre 2006 e 2012. O túnel da Sena Madureira estava sob contrato com a construtora Queiroz Galvão, enquanto o túnel da Roberto Marinho era responsabilidade da Odebrecht (agora Novonor), em parceria com a Constran.

Após assumir o cargo em 2013, o então prefeito Fernando Haddad (PT), atualmente ministro da Fazenda, não autorizou o início das obras. No caso do túnel da Roberto Marinho, inclusive, já havia canteiros de obras prontos para começar.

Durante as investigações da Lava Jato, executivos da Odebrecht admitiram em delações premiadas que a empresa havia ganhado o contrato por meio de um cartel com outras grandes empreiteiras da cidade, além de subornar agentes públicos e financiar caixa dois para políticos.

Leia também: De volta ao Brasil, Lula sanciona nova política do salário mínimo nesta segunda

Em 2020, o então prefeito Bruno Covas (PSDB) rescindiu definitivamente os contratos com as empresas envolvidas. Os processos de rescisão contratual ainda não foram totalmente concluídos, havendo pendências legais a serem resolvidas.

Após consulta ao Tribunal de Contas do Município (TCM), os técnicos da Prefeitura concluíram que não é necessário ter a rescisão finalizada para iniciar o novo processo de licitação.

Considerando as necessidades de atualização dos projetos, a Prefeitura planeja lançar a licitação do túnel Sena Madureira nas próximas semanas, mas a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras estabelece como cenário mais provável que o edital seja publicado até dezembro.

No caso do túnel Roberto Marinho, a obra é mais complexa, pois envolve a remoção de duas comunidades da região, exigindo novos estudos sociais. No entanto, os técnicos acreditam ser possível cumprir o mesmo prazo.

Daniel Vicente
Daniel Vicente
Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!