Globo se manifesta após censura de beijo lésbico em “Vai na Fé”

Muitos internautas manifestaram sua insatisfação com a emissora, acusando-a de desrespeitar o público LGBT que esperava por representatividade
TAG Notícias

Muitos internautas manifestaram sua insatisfação com a emissora, acusando-a de desrespeitar o público LGBT que esperava por representatividade

Telespectadores da novela “Vai na Fé” ficaram indignados na última quarta-feira (10/5) após a TV Globo cortar uma cena importante da trama: o aguardado beijo lésbico entre Clara, interpretada por Regiane Alves, e Helena, vivida por Priscila Sztejnman.

A ausência da cena gerou uma enxurrada de críticas nas redes sociais com a hashtag “Queremos Beijos Clarena”, que se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter.

+ País muda regra e autoriza que homens gays doem sangue a partir de agora

Muitos internautas manifestaram sua insatisfação com a emissora, acusando-a de desrespeitar o público LGBT que esperava por mais representatividade nas telinhas. Alguns argumentaram que a novela tinha prometido revolucionar as histórias de amor homoafetivas na TV aberta, mas falhou em cumprir essa promessa.

A diretora da novela, Juh Almeida, que é lésbica, apagou as fotos do casal publicadas em seu Instagram, o que gerou ainda mais indignação dos fãs. Eles afirmaram que a atitude da diretora foi um sinal claro de que a produção não respeita a autoridade máxima em cena e que a questão não diz respeito apenas à profissionalismo, mas também à representatividade.

 

 

A Globo emitiu uma nota oficial tentando amenizar a situação, afirmando que a edição faz parte da rotina da produção e que isso é sinalizado nos resumos de capítulos divulgados pela emissora. No entanto, as fontes revelaram que a produção teria considerado que o beijo entre Clara e Helena poderia ser “demais” para o público de uma trama evangélica.

A atriz Regiane Alves também se pronunciou sobre a polêmica, dizendo que a construção de um futuro onde todas as formas de amor possam ser aceitas e celebradas deve acontecer devagar e sempre, um passo de cada vez.

 


Essa não é a primeira vez que a Globo é criticada por não incluir beijos entre personagens LGBT em suas produções. Em 2019, a emissora foi acusada de censurar um beijo entre as personagens Lica e Samantha, da novela “Malhação”. Na época, a Globo emitiu uma nota dizendo que não havia censura, mas que a cena não cabia naquele momento da trama.

Essas polêmicas colocam em xeque a questão da representatividade na TV brasileira. Enquanto muitos defendem que é preciso mostrar todas as formas de amor e respeitar a diversidade, outros argumentam que a produção deve se adequar ao público que assiste a novela. O debate continua.

 

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2016