Confeiteira se recusa a fazer bolo de graça para famosos: ‘Exposição não paga contas’

TAG Notícias

Rebecca Severs, proprietária da Three Little Birds Bakery, uma empresa especializada em bolos e aulas de panificação, recentemente recebeu uma proposta de trabalho que não a deixou feliz.

A empreendedora foi abordada por uma empresa de relações públicas que representava uma celebridade “conhecida“, solicitando um bolo para sua festa de aniversário de 40 anos, agendada para setembro. O pedido incluía também 100 cupcakes e um bolo menor, e o “pagamento” oferecido seria através de divulgação nas redes sociais e em uma revista.

Leia também: Ex-CEO das Lojas Americanas apresenta atestado e falta à CPI

Sentindo-se incomodada com a proposta, Rebecca compartilhou sua frustração em um post no Facebook em 27 de julho, juntamente com capturas de tela dos e-mails trocados. A publicação incluía a hashtag “Exposição não paga as contas”. Desde então, a postagem recebeu mais de 3,6 mil curtidas e mais de 900 comentários.

Rebecca Severs, que comanda a Three Little Birds Baker, fez uma publicação em seu Facebook — Foto: Reprodução/Facebook
Rebecca Severs, que comanda a Three Little Birds Baker, fez uma publicação em seu Facebook — Foto: Reprodução/Facebook

Na oferta, a empresa de relações públicas sugeriu: “Em troca de fornecer os produtos para o evento, o pagamento seria feito por meio de divulgação em suas redes sociais com mais de 700 mil seguidores, bem como divulgação na OK Magazine“.

A proposta enfatizou que todos os fornecedores seriam devidamente creditados dessa forma. A festa prometia contar com uma lista de convidados repleta de celebridades e personalidades da indústria do entretenimento, o que poderia trazer uma grande visibilidade para os fornecedores envolvidos.

Não aceitou a proposta

Rebecca, que reside no Reino Unido, respondeu à oferta de forma incisiva: “Lamento saber que seu cliente enfrentou momentos tão difíceis a ponto de não poder remunerar pequenas empresas por seus produtos. Infelizmente, minha hipoteca não aceita pagamento ‘na forma de promoção em redes sociais’ e minha equipe não pode sustentar suas famílias com exposição no Instagram. Portanto, devo recusar sua oferta tão generosa.”

Posteriormente, em 31 de julho, a confeitaria fez outra publicação informando que estava sendo ameaçada legalmente devido à sua postagem anterior, que supostamente estaria difamando a empresa envolvida.

Leia também: Brechó de criança vira franquia, chega a 500 lojas e quer faturar R$ 1 bilhão em 2023

Em entrevista ao The Independent, a empreendedora revelou que essa foi a primeira vez que recebeu esse tipo de proposta, mas admitiu que é uma prática comum na indústria. Rebecca lidera uma equipe de seis pessoas e considera de extrema importância remunerar adequadamente pequenas empresas por seus serviços. Ela defende que as mulheres não devem se sentir culpadas por cobrar pelo seu trabalho e buscar uma remuneração justa.

Esse episódio trouxe à tona o debate sobre a valorização do trabalho e a necessidade de se reconhecer o valor das pequenas empresas, além de levantar questões sobre a prática de oferecer “exposição” como forma de pagamento. O caso de Rebecca serve como um exemplo de como é essencial valorizar o trabalho das empreendedoras e não aceitar condições que não atendam aos padrões justos de remuneração.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1561