Cidade de SP tem 105 casos de Coqueluche confirmados

alerta

A cidade de São Paulo enfrenta um surto de coqueluche, com 105 casos confirmados até o momento. Este número é 7,5 vezes maior que os 14 diagnósticos registrados em 2023, sendo o maior desde 2017, quando 121 casos foram confirmados.

Aumento de Casos e Surtos Notificados

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, entre janeiro e 5 de junho deste ano, a capital paulista registrou 15 surtos de coqueluche, sendo 11 em escolas e 4 em residências. Um surto é caracterizado quando dois ou mais casos são confirmados na mesma casa ou instituição.

Leia também: Idoso de 77 anos morre após levar “voadora” na frente do neto de 11 anos

Medidas de Prevenção e Controle

Diante do aumento dos casos, a Prefeitura de São Paulo emitiu um alerta aos serviços de saúde na última quinta-feira (6/6). O alerta destaca a importância da detecção precoce da doença, o fortalecimento das investigações e a implementação de medidas de prevenção e controle. O comunicado inclui recomendações como o afastamento das pessoas infectadas de escolas e locais de trabalho.

Sobre a Coqueluche

A coqueluche, causada pela bactéria Bordetella pertussis, é altamente transmissível e afeta o sistema respiratório, causando tosse seca intensa. A transmissão ocorre através das gotículas de secreções liberadas pela fala, tosse e espirro. Uma pessoa infectada pode contagiar de 12 a 17 outras.

População em Maior Risco

Renato Kfouri, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, alerta que os bebês de até seis meses são os mais vulneráveis, pois ainda não completaram o ciclo de vacinação. “Embora a coqueluche infecte pessoas de todas as idades, é nos pequeninos, no primeiro semestre de vida, que está a faixa etária com maior risco de hospitalização e morte”, afirma Kfouri.

Vacinação Gratuita e Recomendações

A vacina contra a coqueluche está disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e nas Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs)/UBSs Integradas. Até fevereiro deste ano, a cobertura vacinal da pentavalente, que protege contra a coqueluche e outras quatro doenças, estava em 93,85%, um pouco abaixo dos 95% recomendados pelo Ministério da Saúde.

Perspectivas e Cuidados

A coqueluche apresenta ciclos de picos de transmissão de tempos em tempos, e há um aumento global de casos, como observado na Europa e nos Estados Unidos. A infectologista Rosana Richtmann, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, reforça a importância da vigilância: “É um alerta para a população e para nós médicos, para estarmos atentos ao diagnóstico e aos exames corretos”, afirma Richtmann.

Informações Sobre Vacinação

As vacinas contra a coqueluche estão disponíveis de segunda a sexta, das 7h às 19h, nas UBSs e AMAs/UBSs Integradas, e aos sábados no mesmo horário. A Secretaria Municipal de Saúde recomenda a aplicação da vacina penta em crianças menores de 1 ano e a vacina acelular dTpa para gestantes a partir da 20ª semana de gestação.

Para mais informações e atualizações, siga a gente no Google News

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1052

Deixe um comentário