Logo
Virou notícia, virou Tag!

Bomba: Governo corta Bolsa Família para 1,2 milhão de pessoas

Facebook
Twitter
LinkedIn
Governo paga salário extra a beneficiários do Bolsa Família
Governo paga salário extra a beneficiários do Bolsa Família

Os beneficiários receberão uma mensagem do MDS via celular ou pelo aplicativo do Bolsa Família, tendo 60 dias para regularizar sua situação e desbloquear o benefício

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) bloqueará, a partir desta quarta-feira (12), o recebimento do Bolsa Família para 1,2 milhão de beneficiários registrados no Cadastro Único para benefícios sociais (CadÚnico) como famílias unipessoais, ou seja, formadas por uma pessoa só.

Além desses, outros 125 mil cadastros foram desligados por não atenderem aos requisitos ou por não realizarem saques há mais de seis meses.

+ Fique atento: conheça os principais golpes do Bolsa Família e saiba como evitá-los

Os beneficiários receberão uma mensagem do MDS via celular ou pelo aplicativo do Bolsa Família, tendo 60 dias para regularizar sua situação e desbloquear o benefício.

Se o beneficiário souber que está irregular, é possível pedir o cancelamento do benefício pelo aplicativo do Cadastro Único.

O governo está revisando os 6 milhões de cadastros que entraram nas vésperas das eleições presidenciais em outubro de 2022, quando o governo Bolsonaro acelerou a entrada de beneficiários com indícios de irregularidades.

O ministro da pasta, Wellington Dias, afirmou que a estimativa é que 4 milhões de pessoas não se enquadrem nos critérios.

Em 2023, já foram removidas do programa 1,5 milhão de pessoas com renda superior ao exigido, incluindo 7 mil pessoas com renda superior a R$ 6.500 mensais recebendo o benefício.

A principal regra para receber o Bolsa Família é que a família tenha renda mensal de até R$ 218 por pessoa.

O maior indício de irregularidade encontrado pelo MDS é a explosão de famílias unipessoais.

Dos 6 milhões de beneficiários que entraram às vésperas das eleições, 5,5 milhões se enquadraram como tal. O ministro Dias afirmou que muitas pessoas da mesma família se inscreveram como se fossem famílias diferentes, o que vai contra as regras do programa.

Com a notificação, essas pessoas serão chamadas aos Cras (Centro de Referência da Assistência Social) para comprovar que são, de fato, famílias unipessoais e que moram sozinhas, principalmente que não dividem a casa com outros recebedores do benefício.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.