Alerta de Covid: ‘É um avião por semana caindo’ alerta vice-presidente da Sbim sobre aumento de casos

TAG Notícias

A atenção da saúde pública e do Ministério da Saúde no momento está voltada para a dengue, com 555 mil casos e 94 mortes confirmadas. Alguns estados decretaram calamidade pública devido a essa situação preocupante. No entanto, não podemos nos esquecer da persistente ameaça do Coronavírus.

Leia também: Erros na declaração de MEI podem gerar grandes penalidades ao microempreendedor

A Covid-19 continua ativa, fazendo vítimas diariamente. É alarmante ver alguns governadores cogitando dispensar a exigência de vacinação, o que representa um sério crime contra a saúde pública. A imunização é nossa aliada na luta contra o Coronavírus, e aqueles que são contra as vacinas estão, de fato, fortalecendo o vírus.

Neste ano de 2024, já perdemos 1127 brasileiros para a Covid-19, em comparação às 94 mortes por dengue. Esses números evidenciam a gravidade da situação.

O negacionismo de alguns governantes é apenas uma parte do problema. O comportamento da população também é crucial. Apesar de termos adotado o hábito de usar máscaras durante o auge da pandemia, muitos rapidamente se esqueceram da importância desse simples gesto.

Vacina contra o Covid causa morte (Foto: Reprodução)
Vacina contra o Covid causa morte (Foto: Reprodução)

É preocupante notar a falta de uso de máscaras em espaços públicos, aliada à frequência de pessoas tossindo e espirrando sem proteção. Será que não aprendemos nada com a pandemia?

Após o Carnaval, especialistas alertam para um possível aumento nos casos de Covid-19 devido às aglomerações em blocos e bailes. Muitas pessoas pararam de se vacinar com a falsa sensação de que a pandemia acabou, o que está longe da realidade. A vacinação é essencial não apenas para prevenir a doença, mas também para evitar sua propagação.

O uso de máscaras ao apresentar sintomas gripais e a conclusão do esquema de vacinação são medidas fundamentais. Além disso, são um sinal de respeito para com os outros, especialmente os mais vulneráveis: idosos, crianças e pessoas com comorbidades.

Com a volta às aulas se aproximando, especialistas estão preocupados. Embora a mortalidade seja mais alta entre os idosos e pessoas com comorbidades, as crianças não vacinadas apresentam uma das maiores taxas de hospitalização.

É importante destacar que a Covid-19 continua sendo um grave problema de saúde pública, com centenas de mortes ocorrendo mensalmente. É como se um avião caísse a cada semana, ressalta Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações.

Siga a gente no Google News para ficar por dentro de todas as atualizações sobre o Coronavírus e outras notícias importantes para a sua saúde e bem-estar.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1752

Deixe um comentário