Suspeito de matar e carbonizar corpo da namorada confessa o crime e é preso

TAG Notícias

Segundo relatos, Laila Vitória Rocha teria conhecido o suspeito através da internet. Ela foi brutalmente assassinada com golpes de espada e, posteriormente, seu corpo foi queimado em uma lareira

Um crime bárbaro chocou a cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, quando uma jovem de 20 anos foi assassinada e carbonizada pelo seu namorado, um homem de 37 anos, que se autointitulava “bruxo” e “necromante” nas redes sociais.

A vítima, identificada como Laila Vitória Rocha, teria conhecido o suspeito pela internet e viajou do Pará para Porto Alegre para se encontrar com ele.

+ Carta de despedida de jovem que esfaqueou professora vaza e mostra ódio e dor

Segundo relatos de testemunhas, o casal vinha enfrentando frequentes discussões e brigas. No entanto, nada poderia justificar o assassinato brutal que aconteceu no último sábado, 25, na casa do suspeito, localizada na zona leste da cidade. Laila Vitória Rocha foi morta com golpes de espada e, em seguida, teve o corpo carbonizado em uma lareira.

O suspeito fugiu logo após o crime e ficou foragido até ser capturado pela Brigada Militar na última quarta-feira, 29, na cidade de Viamão.

Ele confessou o feminicídio logo após ser detido e foi encaminhado para a 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) da cidade, onde ficou à disposição da Justiça.

A polícia também revelou que o suspeito já possui antecedentes criminais por homicídio tentado, lesão corporal no âmbito de violência doméstica e familiar, e ameaça. Ele utilizava tornozeleira eletrônica, que foi rompida logo após o crime, demonstrando total desrespeito às medidas cautelares impostas pela Justiça.

O caso de Laila Vitória Rocha é mais um triste exemplo da violência contra a mulher que assola o país. O Brasil é um dos países que mais registram casos de feminicídio no mundo, com uma média de 10 mulheres mortas por dia. É necessário que medidas mais efetivas sejam tomadas para proteger as mulheres e punir os agressores, a fim de que casos como este não se repitam.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2091