Rivotril, Nutella e motociata: Os gastos do cartão corporativo de Bolsonaro que ultrapassam os R$ 27 milhões

Notas que ultrapassam os R$ 27 milhões, mostram indiscriminado do cartão do ex-presidente

Os R$ 27 milhões gastos diretamente pelo cartão do ex-presidente Bolsonaro, ao longo dos últimos anos, foram usados para todo e qualquer tipo de despesa da família dele, como por exemplo: Mercado, produtos de higiene, remédios, lanches para cabos eleitorais, motociatas, restaurantes, hotéis e tudo mais.

+ “Muitas pessoas maldosas e invejosas”: Padre Alessandro Campos deixa recado ao Brasil e revela o que passou

Segundo a “Fiquem Sabendo“, organização especializada em acesso à informações públicas, que escaneou milhares de notas ficais do gastos de Bolsonaros, depositadas em um prédio em Brasília, tornou público todo o conteúdo para consulta hoje através deste link.

As notas ficais mostram que, nas motociatas promovida pelo ex-presidente, eram comprados milhares de lanches em supermercados locais, o que indica que os participantes ganhavam ao menos essa recompensa para desfilar ao lado de Bolsonaro pelas ruas do Brasil. Nas viagens pelo país, eram comuns os gastos dos cartão com dezenas e mais centenas de refeições.

Gastos com medicamentos também eram custeados com o dinheiro público do cartão. Uma nota fiscal da ‘Drogaria do Povo’, da Asa Norte de Brasília, mostra uma compra de antidepressivo Lexapro e o antiansiolítico Rivotril, usado para tratar transtornos do pânico e transtornos de ansiedades, entre outros.

Todos os alimentos consumidos nos palácios presidenciais também era bancados pelo governo. Em uma só nota, mostra dezenas de quilos de filé mignon, e uma variedade imensa de Nutella e frutas nobres.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1489