Logo
Virou notícia, virou Tag!

Preso suspeito de atirar em Mingau, baixista do Ultraje

Preso um dos envolvidos no ataque a tiros que atingiu Mingau, baixista do Ultraje a Rigor

Facebook
Twitter
LinkedIn
Baixista da banda Ultraje a Rigor, Rinaldo Oliveira Amaral, conhecido como Mingau (Foto: Reprodução)
Baixista da banda Ultraje a Rigor, Rinaldo Oliveira Amaral, conhecido como Mingau (Foto: Reprodução)

Um homem foi preso neste domingo (3) em Paraty, no bairro Ilha das Cobras, por seu envolvimento no ataque que resultou em um tiro na cabeça do baixista da banda Ultraje a Rigor, Rinaldo Oliveira Amaral, conhecido como Mingau.

A denúncia anônima levou as autoridades ao paradeiro de um dos autores dos disparos, e os policiais encontraram drogas, armas, munições e um notebook na residência onde o suspeito estava.

O incidente ocorreu no sábado, por volta das 22h, quando o músico, de 56 anos, estava em um carro em alta velocidade próximo à Praça do Ovo, acompanhado de um amigo, e foi alvo de tiros de criminosos armados.

O amigo de Mingau, que estava no veículo, forneceu informações conflitantes sobre a situação. Em seu depoimento à Polícia Civil, ele afirmou que eles tinham acabado de sacar dinheiro no banco e estavam a caminho de uma lanchonete quando sofreram o ataque.

Leia também: Kayky Brito é atropelado, está em estado grave e amigo Dudu Azevedo revela luta pela vida

No entanto, à Polícia Militar, ele declarou que estavam indo comprar drogas.

O carona relatou que se abaixou para se proteger dos tiros e percebeu que Mingau caiu ao seu lado após os primeiros disparos. Posteriormente, o veículo perdeu o controle e colidiu com o portão de uma residência.

Mingau foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Municipal Hugo Miranda. Seu estado de saúde é estável, mas a unidade de saúde não possui um neurocirurgião para realizar a cirurgia de retirada da bala.

Portanto, ele foi transferido para um hospital particular na Zona Sul de São Paulo em um helicóptero do Corpo de Bombeiros equipado com UTI móvel.

As investigações sobre o caso ainda estão em andamento, e a Polícia Civil continua procurando outros envolvidos no ataque.

Débora Carvalho
Débora Carvalho
Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!