Polícia prende jovem por fazer adolescentes de escravas virtuais e por induzi-las ao suicídio

A Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) realiza a Operação Gaslighting – Prevenção e Combate a Crimes Cibernéticos, na data de 23/8.

A ação visa desmantelar práticas de exploração digital, tendo como alvo um indivíduo jovem que utilizava artifícios para obter material pornográfico de adolescentes através das redes sociais, posteriormente exercendo controle sobre elas em um ambiente virtual. O indivíduo em questão, de 18 anos de idade, é estudante no campo de áudio e vídeo, e agora está sob custódia das autoridades.

Leia também: Mizael Bispo, condenado pela morte de Mércia Nakashima, deixa a prisão após Justiça conceder regime aberto

Conforme revelado por investigações, o suspeito submetia suas vítimas a um relacionamento onde ele demandava que elas o tratassem como “mestre”, coagindo-as a criar conteúdo de natureza sexual explícita (conhecido como estupro virtual) e até mesmo a se automutilarem (escrevendo palavras em seus próprios corpos com objetos cortantes), com o intento de levá-las ao extremo do suicídio.

Um aspecto notável observado pela equipe da DRCC é o fato de que o investigado utilizava os recursos de rede computacional de uma prestigiada instituição federal de ensino, ligada diretamente ao Ministério da Educação e localizada no Distrito Federal, para disseminar o material relacionado à exploração sexual de menores.

O suspeito foi detido em flagrante no bairro Recanto das Emas. Durante as diligências, os agentes conseguiram confirmar que o indivíduo armazenava material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes nos dispositivos eletrônicos de sua residência, além do computador pertencente à referida instituição de ensino.

Todo o material apreendido passará por minuciosa análise realizada pela Seção de Perícias de Informática do Instituto de Criminalística (IC). A operação contou também com o apoio de especialistas forenses do IC e de uma equipe da corregedoria do Corpo de Bombeiros, uma vez que o pai do suspeito é membro ativo dessa instituição militar.

Diante dos crimes que abrangem desde o registro não autorizado de conteúdo sexual, armazenamento de pornografia infantil, indução à automutilação, incitação ao suicídio até a prática de estupro virtual, o jovem infrator está passível de enfrentar uma pena que pode chegar a até 17 anos de privação de liberdade.

Operação Gaslighting

Prevenção e Combate a Crimes Cibernéticos O termo “Gaslighting” é empregado para caracterizar uma forma de abuso psicológico em que informações são deliberadamente manipuladas a ponto de a vítima perder sua capacidade de confiar em sua própria percepção da realidade.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1489