Papa Francisco é detonado após dizer que ser gay não é crime, mas ainda sim é pecado

TAG Notícias

Direto do vaticano, o Papa soltou verbo

O Papa Francisco declarou nesta última terça-feira que ser homossexual não é nenhum crime e classificou leis que criminalizam a homossexualidade como “injustas”.

O líder da igreja católica ainda fez uma ressalva: “Ser homossexual não é crime, mas é pecado”, declarou ele em entrevista à Associated Press. Francisco disse ainda que Deus ama todos os seus filhos como de fato eles são e ainda pediu aos bispos católicos que recebem pessoas da comunidade LGBTQIA+ na igreja.

+ Preço da gasolina aumenta em 24 dias de governo Lula e brasileiro vai sentir no bolso

Em conversa, o Pontífice lembrou que é necessário fazer a distinção entre pecado e o crime, reforçando que “também é pecado faltar a caridade uns com os outros”, e reconheceu que os bispo apoiam as leis que criminalizam a comunidade.

Segundo o argentino, este tipo de atitude, no entanto, está relacionada às origens culturais, o que faz com que líderes da igreja precisem passar por um processo de mudança para reconhecer a dignidade de todos os cidadãos. De acordo com a publicação, 67 países em todo o mundo criminalizam o ator sexual entre pessoas do mesmo sexo. Deste, 11 podem ou impõem pena de morte.

O PAPA FOI DETONADO

A fala de Francisco não pegou nada bem entre membros da comunicado que acabaram detonando o líder e também a religião.

“O papa falando sobre o que é pecado? Não me surpreende nada”, disse um. “Esse papa querendo condenar como pecado ser gay. O que mais tem na igreja dele é isso”, comentou outro.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1688