Após ser afastado, Padre Robson é acolhido por diocese de Mogi para voltar a função

TAG Notícias

Padre Robson de Oliveira encontrará acolhimento na Diocese de Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. A missa de acolhida ao padre será realizada no domingo do Dia dos Pais, às 11 horas da manhã, na catedral diocesana. A celebração será presidida pelo bispo diocesano, Dom Pedro Luiz Stringhini, que expressou sua expectativa em relação à contribuição do padre no trabalho de evangelização e comunicação da diocese, valorizando o carisma que ele possui.

Padre Robson manifestou seu desejo de ter essa experiência pastoral na Diocese de Mogi das Cruzes, com a possibilidade de ser incardinado, o que significa dedicar-se integralmente ao serviço pastoral dessa parte da Igreja, conforme informado por Dom Pedro Luiz Stringhini. A incardinação proporcionaria uma atuação mais abrangente e dedicada ao pastoreio nessa região específica.

Com essa nova etapa em sua trajetória eclesiástica, Padre Robson terá a oportunidade de contribuir de forma significativa na disseminação da mensagem cristã e na comunicação com os fiéis da Diocese de Mogi das Cruzes, fortalecendo o vínculo entre a fé e a comunidade. A missa de acolhida é aguardada com expectativa pela diocese, marcando um momento importante para a vida religiosa local.

Padre Robson pede afastamento após investigação de desvio de doações no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno

Em agosto de 2020, o padre Robson de Oliveira Pereira, de 46 anos, fundador e presidente da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) e reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, pediu afastamento de suas funções após uma investigação sobre desvio de R$ 120 milhões de doações de fiéis.

A operação “Vendilhões”, realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), cumpriu 16 mandados de busca e apreensão, incluindo imóveis ligados ao padre Robson. A investigação apurou suspeitas de que o dinheiro desviado possa ter sido utilizado para aquisição de bens luxuosos, como uma fazenda de R$ 6 milhões em Abadiânia, no leste de Goiás, e uma casa de praia no valor de R$ 3 milhões em Guarajuba, na Bahia.

Leia também: Ex-Presidente da CNBB morre após acidente doméstico durante retiro espiritual

O arcebispo da Arquidiocese de Goiânia, Dom Washington Cruz, divulgou um documento informando sobre o afastamento do padre Robson e destacando que a Igreja Católica aceita, com humildade, os atos praticados pela autoridade judiciária. A nota também ressaltou a abertura da arquidiocese para apurar, com transparência, quaisquer denúncias em desfavor de seus membros.

Em uma coletiva de imprensa, o advogado Pedro Paulo Medeiros, que representa o padre Robson, afirmou que o religioso estava “chateado com as acusações, mas tranquilo”. Segundo o padre, aquele que anda com a verdade não tem o que temer em relação às acusações.

Absolvição

Em abril de 2022, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) arquivou definitivamente o processo contra o padre Robson de Oliveira Pereira, referente a supostos desvios de dinheiro durante sua atuação como presidente da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). A decisão transitou em julgado, o que significa que não cabe mais recurso nos tribunais superiores, conforme confirmado pelo advogado do padre, Pedro Paulo de Medeiros.

Segundo o advogado Medeiros, não há mais recursos pendentes neste caso, e o padre Robson, que havia sido injustiçado, foi agora absolvido. Com o arquivamento definitivo, ele pode retomar sua vida de evangelização e serviço à Igreja.

O advogado Cleber Lopes, também responsável pela defesa do padre Robson, enfatizou que o STJ já havia confirmado a decisão do Tribunal de Justiça de Goiás, que considerou que o padre não cometeu qualquer crime durante sua gestão na Afipe.

A absolvição do padre Robson encerra um capítulo conturbado em sua trajetória e possibilita seu retorno pleno às atividades religiosas e de evangelização, após a superação das acusações de desvios financeiros. Com o processo arquivado de forma definitiva, ele poderá continuar a servir à comunidade católica com tranquilidade.

_____

Colaborou Paulo Junior, jornalista da REDEVIDA de Televisão

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1747