Na Cúpula da Amazônia, Lula ataca Bolsonaro: “Ilícitos ambientais e crime organizado”

TAG Notícias

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), utilizou seu segundo discurso perante líderes de nações amazônicas para abordar de forma crítica a gestão de seu antecessor, Jair Bolsonaro, do Partido Liberal (PL). Durante sua fala, Lula também defendeu a necessidade de a Cúpula da Amazônia marcar o início de uma nova fase para a América do Sul no cenário global. Sem mencionar diretamente o nome de Bolsonaro, o presidente Lula acusou sua administração de prejudicar os esforços voltados à preservação da floresta e ao desenvolvimento sustentável.

“Em nossas sociedades, não fomos capazes de encontrar um equilíbrio entre crescimento e sustentabilidade, ou de respeitar os conhecimentos e direitos das populações rurais, florestais e aquáticas”, declarou Lula na tarde desta terça-feira (8/8), em Belém (PA). “Desde a redemocratização, buscamos corrigir essa trajetória, valorizando o bioma e seus habitantes”, prosseguiu.

Leia também: Primeira ministra negra do TSE, Edilene Lôbo toma posse nesta terça

O presidente enfatizou avanços significativos na monitorização da floresta e na redução do desmatamento na região amazônica, mas não deixou de expressar sua crítica à gestão de Jair Bolsonaro.

“Apesar de não termos resolvido todos os problemas, iniciamos uma jornada em direção a um caminho mais justo e sustentável. No entanto, a crise política que assolou o Brasil trouxe ao poder um governo negacionista, resultando em consequências danosas. Meu antecessor abriu as portas para atividades ambientais ilícitas e para o crime organizado. Os índices de desmatamento voltaram a crescer. Suas políticas beneficiaram apenas uma minoria voltada para lucros imediatos”, afirmou Lula, direcionando suas críticas a Bolsonaro.

“Por sorte, graças à decisão soberana do povo brasileiro e seu compromisso com a democracia, conseguimos virar essa triste página de nossa história”, completou o líder petista.

Em seguida, o presidente brasileiro delineou planos para transformar a realidade da floresta daqui em diante. “Estamos empenhados em reverter esse cenário. Já estamos obtendo resultados. Os alertas de desmatamento na Amazônia tiveram uma queda de 42,5% nos primeiros sete meses deste ano. Assumimos o compromisso de eliminar completamente o desmatamento até 2030”, declarou.

“Estabeleceremos um Centro de Cooperação Policial Internacional em Manaus para combater os crimes que afetam a região. O novo Plano de Segurança para a Amazônia incluirá a criação de 34 novas bases fluviais e terrestres, com presença constante de forças federais e estaduais”, prometeu Lula.

“O apoio das Forças Armadas, especialmente na faixa de fronteira, será essencial nesse esforço. Também possibilitará a futura implementação de um sistema integrado de controle de tráfego aéreo na Região Amazônica”, acrescentou.

Desenvolvimento sustentável

“A Amazônia não é e não deve ser tratada como um mero depósito de riquezas. Ela representa um viveiro de conhecimento e tecnologias que estamos apenas começando a compreender. Aqui podem residir soluções para inúmeros desafios da humanidade, desde a cura de doenças até o comércio mais sustentável”, afirmou Lula.

“A floresta não é um vácuo a ser preenchido nem um tesouro a ser saqueado. Ela é um viveiro de possibilidades que requer cuidado”, continuou o presidente. “Em um sistema internacional não construído por nós, fomos historicamente relegados ao papel subalterno de fornecedores de matérias-primas. A transição ecológica justa nos possibilita mudar essa narrativa. A Amazônia é nosso passaporte para uma nova relação com o mundo – uma relação mais equitativa, na qual nossos recursos não serão explorados em favor de poucos, mas sim valorizados e colocados a serviço de todos”, enfatizou Lula.

O governo brasileiro tornou público o discurso integral do presidente durante a Cúpula da Amazônia.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2105