Logo
Virou notícia, virou Tag!

Ministro de Lula minimiza nova invasão do MST: “Foi protesto”

O ministro, que faz parte do governo de Lula, também ressaltou que os integrantes do MST já deixaram a fazenda

Facebook
Twitter
LinkedIn
Ministro minimiza invasão do MST em fazenda da Embrapa e classifica como protesto (foto: reprodução - Tag Notícias)
Ministro minimiza invasão do MST em fazenda da Embrapa e classifica como protesto (foto: reprodução - Tag Notícias)

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, filiado ao PT, minimizou a recente invasão do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) em uma fazenda da Embrapa, localizada na cidade de Petrolina (PE), ocorrida nesta segunda-feira (31/7).

Ao ser procurado para comentar o ocorrido, o ministro refutou o termo “invasão” e caracterizou a ação como um protesto. “Não foi invasão. Foi um protesto”, afirmou Teixeira no início da tarde.

Leia também: Por orientação da Receita, Haddad vai devolver onça de ouro à Arábia Saudita

O ministro, que faz parte do governo de Lula, também ressaltou que os integrantes do MST já deixaram a fazenda, o que foi confirmado pela assessoria de imprensa do movimento e comunicado à coluna de Igor Gadelha, do portal Metrópoles, por volta das 17h.

A invasão à fazenda da Embrapa foi decidida pelo MST durante uma assembleia realizada no domingo (30/7) e teve início na manhã de segunda-feira. Segundo o movimento, cerca de 1,5 mil famílias ocuparam o local.

Durante a invasão, os integrantes do MST tomaram a estrutura destinada ao evento “Semiárido Show”, uma feira de tecnologia voltada para agricultores familiares da região, que estava programada para acontecer entre a terça-feira (1º/8) e a sexta-feira (4/8).

O MST acusa o governo Lula de descumprir os acordos firmados após a invasão das mesmas terras em abril, durante a Jornada Nacional de Luta pela Terra e pela Reforma Agrária, conhecida como “Abril Vermelho”.

Em um comunicado, o MST afirmou: “O MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) rompeu com todos os acordos e tenta fazer o Seminário Show sem cumprir nada do que foi acordado para resolver a questão das famílias acampadas. Não queremos atrapalhar o Seminário Show, mas, ao mesmo tempo, não vamos permitir que seja realizado se não for cumprido o mínimo do mínimo, para que a gente possa organizar as coisas e as famílias, no mínimo, possam ser assentadas.”

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.