Médica é acusada de dar falso diagnóstico de câncer a pacientes para lucrar com cirurgias

TAG Notícias

A Polícia Civil do Paraná está investigando 22 queixas feitas contra a médica Carolina Biscaia Carminatti, de 35 anos, que atua na cidade de Pato Branco.

Ela é acusada por pacientes de aplicar golpes, informando falsos diagnósticos de câncer de pele, com o intuito de lucrar com a realização de procedimentos cirúrgicos desnecessários. Uma das vítimas teria sido lesada em cerca de R$ 13 mil, além de sofrer traumas físicos e psicológicos.

Leia também: Mulher morre após ter casa invadida por enchente em SP

As denúncias começaram a surgir quando pacientes descobriram, após passarem por procedimentos cirúrgicos, que os diagnósticos de câncer entregues pela médica eram falsos. A polícia realizou mandados de busca e apreensão no consultório da médica, onde foram recolhidos computadores, celulares e documentos para perícia.

De acordo com o delegado Helder Andrade Lauria, que está à frente das investigações, as vítimas relataram que, durante as consultas dermatológicas, a médica identificava pintas e manchas na pele como possíveis cânceres, encorajando a realização de procedimentos cirúrgicos para sua remoção. Ela cobrava altos valores por esses procedimentos e pressionava os pacientes para o pagamento imediato, recusando o uso de planos de saúde e insistindo em dinheiro ou cartão como forma de pagamento.

Paciente foi submetida a procedimento cirúrgico para retirada de falso câncer (Foto: Arquivo Pessoal)
Paciente foi submetida a procedimento cirúrgico para retirada de falso câncer (Foto: Arquivo Pessoal)

Os pacientes começaram a desconfiar quando solicitaram os exames à médica e receberam documentos com erros via WhatsApp. Ao confrontar as informações em um laboratório, descobriram que a empresa também era vítima do esquema, pois a médica falsificava resultados de exames.

Além dos danos financeiros, os pacientes relatam danos físicos, incluindo cicatrizes permanentes resultantes de procedimentos desnecessários, e danos psicológicos pela gravidade dos falsos diagnósticos.

O advogado das vítimas, André Luiz Rodrigues Hamera, destacou a pressão exercida pela médica sobre os pacientes para realização imediata dos procedimentos, mesmo em situações em que os pacientes estavam abalados e não podiam tomar decisões conscientes.

Por outro lado, o advogado de Carolina Biscaia, Valmor Antonio Weissheimer, afirmou que não existe nenhuma acusação formal contra sua cliente e que estão aguardando a perícia técnica para análise. Ele também ressaltou que não há provas de crimes cometidos pela médica.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná informou que instaurou um procedimento sindicante para apurar possível desvio ético cometido pela médica, que está regularmente inscrita, mas não possui registro de especialidade no conselho. A Sociedade Brasileira de Dermatologia no Paraná também confirmou que a médica já havia sido denunciada e julgada anteriormente por anunciar indevidamente a especialidade.

Segundo a polícia, não há indícios de envolvimento de outras pessoas no esquema supostamente liderado pela médica Carolina Biscaia Carminatti, que faz parte de uma família de médicos conhecida em Pato Branco.

Mantenha-se atualizado, siga a gente no Google News!

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 977

Deixe um comentário