Jovem que cheirou pimenta recebe alta e mãe relata como ela está: “Como um neném”

TAG Notícias

Após um episódio angustiante envolvendo o cheiro de um vidro de pimenta em conserva, Thais Medeiros, uma jovem de 25 anos, teve alta hospitalar na tarde da última segunda-feira, 31, em Anápolis (GO), localizada a 55 km de Goiânia.

Infelizmente, a experiência traumática resultou em uma parada cardiorrespiratória, levando Thais a desenvolver uma lesão irreversível no cérebro.

Leia também: Clínica clandestina que internava dependentes químicos à força é fechada pela polícia

Acompanhada de perto pela mãe, Adriana Silva Medeiros, Thais enfrentou um percurso repleto de desafios desde o incidente. “Eu tive muito medo de trazer ela para casa, mas estava na hora”, compartilha Adriana, que demonstra amor e dedicação inabaláveis à filha. “Minha filha saiu de um jeito e voltou assim, como um neném.” termina a mãe.

Admiravelmente, a jovem retornou para casa em estado semelhante ao de um bebê, necessitando de cuidados intensivos.

A situação exigiu grandes mudanças na vida da família. O marido de Adriana, Sérgio Alves Silva, fechou a loja para se dedicar ao cuidado das duas netas do casal, Valentina, de 8 anos, e Antonella, de 7, ambas filhas de Thais. Adriana também precisou se ausentar de seu trabalho em um salão de beleza para acompanhar o tratamento contínuo de Thais no hospital.

Jovem internada após cheirar pimenta recebe alta da UTI e responde a estímulos
Jovem internada após cheirar pimenta recebe alta da UTI e responde a estímulos

O que dizem os médicos?

De acordo com o médico geriatra Fernando Henrique de Paula, do renomado Centro de Reabilitação e Readaptação Henrique Santillo (Crer), onde Thais permaneceu internada desde 9 de abril, houve uma ligeira melhora em seu quadro clínico. Contudo, ele esclarece que a paciente chegou à unidade em estado grave, enfrentando diversas complicações que tornaram o processo de reabilitação inviável.

Entre as adversidades que Thais enfrentou, destacam-se duas infecções, uma ocorrida no final de junho e outra causada por fungos no local de uma cirurgia para remoção de abscessos, conforme relatado por sua mãe.

O tratamento para osteomielite, uma infecção óssea, e para escaras ainda demandará seis meses adicionais. Infelizmente, as infecções e as escaras impediram Thais de iniciar o processo de reabilitação até o momento.

Viva, mas não responde a nada

Embora Thais esteja consciente, ela não responde a estímulos neurológicos. Sua mãe, emocionada, compartilha que a jovem reage quando vê suas filhas e sempre demonstra atenção quando alguém entra no quarto.

Diante dessa nova realidade, a família empreende esforços para adequar a casa às necessidades de locomoção de Thais. Por meio de uma vaquinha online, conseguiram arrecadar um montante significativo de R$ 172 mil. Além disso, uma equipe do Crer realizará atendimentos em casa uma vez por semana, e a cada 15 dias, Thais terá consultas ambulatoriais no centro de reabilitação, na busca incessante por progressos e melhor qualidade de vida.

Nesse momento de desafios e superações, a família de Thais se une em um propósito comum, buscando proporcionar todo o suporte e auxílio necessário para sua recuperação. A esperança e a perseverança são os alicerces que sustentam essa jornada difícil, mas repleta de amor e cuidado.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1561