Logo
Virou notícia, virou Tag!

Extremista de direita na Argentina lidera primárias para presidente

Com opiniões extravagantes, Milei promete acabar com o que chama de "casta política parasitária" e enfrentar desafios econômicos e sociais do país

Facebook
Twitter
LinkedIn
Javier Milei foi o grande vencedor das Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatória da Argentina (Paso) - (foto: reprodução Tag Notícias)
Javier Milei foi o grande vencedor das Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatória da Argentina (Paso) - (foto: reprodução Tag Notícias)

O extremista de direita Javier Milei, de 52 anos, emergiu como o vencedor das Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatórias (Paso) da Argentina, que definem os representantes para o primeiro turno das eleições presidenciais marcadas para 22 de outubro. Sob o estandarte da chapa “Juntos Pela Mudança”, Milei expressou sua vitória com entusiasmo: “Viva a liberdade. Essa eleição representa o fim do kirchnerismo e da casta política.”

No domingo (13/8), após a contagem de 92% das urnas, Milei obteve 30% dos votos. Em seguida, veio a coalizão “Juntos pela Mudança”, liderada pelo ex-presidente Mauricio Macri, com 28%, seguida pela coalizão governista “União pela Pátria”, encabeçada pelo ministro da Economia, Sergio Massa, e o líder social de esquerda Juan Grabois, com 27%. Os três grupos estão programados para competir no primeiro turno em 22 de outubro.

Leia também: Equador: carro de candidata a deputada é baleado em novo ataque

Em seu discurso após os resultados preliminares, Milei afirmou sua determinação de “acabar com a casta política parasitária, corrupta e inútil que existe neste país”. Ele enfatizou que esse é o primeiro passo em direção à reconstrução da Argentina, destacando a necessidade de uma mudança real: “Uma Argentina diferente é impossível com as mesmas pessoas de sempre.”

Posições Extremas e Revolta da População

Javier Milei é conhecido por suas opiniões extremas e peculiares em diversas áreas. Seu apoio a figuras como Donald Trump e Jair Bolsonaro é evidente, e ele defende a extinção do Banco Central da Argentina, a eliminação de programas sociais, a facilitação da posse de armas, o fim da educação sexual nas escolas e até mesmo questiona a crise climática.

Essa votação reflete a crescente insatisfação da população argentina diante da atual situação econômica do país, marcada por uma inflação anual acima de 100%, uma moeda em constante desvalorização e um aumento na taxa de pobreza. O discurso incisivo de Milei contra o status quo chamou a atenção dos eleitores, seguindo um padrão observado em outras nações, como o Brasil, os EUA e o Reino Unido.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.