Estudantes terão que comprovar vacinação para se matricular em escolas

TAG Notícias

Estudantes menores de 18 anos, tanto das redes públicas quanto particulares de Goiás, que estejam cursando desde a educação básica até o ensino médio, agora precisam apresentar um Certificado de Vacinação no ato da matrícula.

Esta medida obrigatória foi anunciada pelas Secretarias de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) e de Educação (Seduc-GO) em 4 de setembro.

Leia também: Lula volta a defender cobrança de Imposto de Renda sobre herança e lucros

O principal objetivo dessa iniciativa é assegurar a administração das vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde, em conformidade com o Calendário Nacional de Vacinação da Criança e do Adolescente.

Os pais ou responsáveis têm um prazo de 30 dias após a matrícula para apresentar o cartão de vacinação dos estudantes. É crucial ressaltar que, caso isso não seja feito, os alunos não terão sua entrada na sala de aula impedida. No entanto, essa situação será comunicada ao Conselho Tutelar e ao Ministério Público Estadual.

Se passados os 30 dias o documento não for apresentado, o Conselho Tutelar notificará o Ministério Público, que convocará os pais para entender os motivos por trás da recusa e promover a conscientização. Se todas as tentativas anteriores falharem, os pais ou responsáveis poderão ser responsabilizados.

Leia também: Rapaz diz ter encontrado avião da Malaysia Airlines através do Google Maps

Os Certificados de Vacinação podem ser obtidos por meio do site da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO). Após a impressão, o documento deve ser levado a uma unidade básica de saúde, onde será verificado. Mesmo que os pais optem por não vacinar, existe um campo específico para isso. Posteriormente, o Certificado deverá ser apresentado à escola no momento da matrícula.

De acordo com a SES-GO, cabe às escolas exigir a apresentação do Certificado. O Secretário de Saúde, Sérgio Vêncio, afirmou: ‘Nosso foco é evitar que doenças que, há dez anos, atingiam níveis de 95%, como a tríplice viral, o sarampo, BCG e a poliomielite, retornem. Hoje, essas doenças estão muito abaixo desse índice, e precisamos manter uma cobertura vacinal significativa.’

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1752