Deputada faz harmonização com verba eleitoral e perde mandato

denúncia

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) cassou o mandato da deputada federal Silvia Waiãpi (PL) na quarta-feira, 19 de junho, após rejeitar suas contas de campanha. A decisão foi baseada na acusação de que Silvia teria usado recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) para pagar uma harmonização facial, um procedimento estético que custou R$ 9 mil.

Denúncia e Investigação

A denúncia foi feita por Maitê Martins, coordenadora da campanha de Silvia, à Procuradoria Regional Eleitoral em setembro de 2022. Maitê afirmou ter se desentendido com a então candidata devido ao uso inadequado dos recursos eleitorais. Segundo Maitê, Silvia transferiu R$ 39 mil para ela sob o pretexto de pagamento por serviços de coordenação, mas uma parte desse valor foi usada para pagar o procedimento estético. O cirurgião-dentista William Rafael confirmou que as transferências foram realizadas conforme solicitado por Silvia.

Defesa de Silvia Waiãpi

Silvia Waiãpi declarou que não foi intimada para o julgamento e que tomou conhecimento da decisão pela imprensa. Ela destacou que suas contas já haviam sido julgadas e aprovadas pelo TRE-AP anteriormente. Em nota, a deputada afirmou:

“É estranho que a deputada Silvia Waiãpi não tenha sido intimada, tampouco seus respectivos advogados. Somente após a audiência pública, que ela presidia e que terminou próximo às 19 horas, é que a deputada foi questionada sobre o julgamento. Agora, cumpre aos advogados tomarem ciência do que de fato foi julgado e tomar as medidas cabíveis”.

Sobre Silvia Waiãpi

Silvia Waiãpi foi eleita deputada federal em 2022 pelo PL, sendo a primeira mulher indígena a ingressar no Exército Brasileiro, em 2011. Ela se define como “Mãe, Avó, Indígena, Militar, Republicana Conservadora” em suas redes sociais.

Repercussão e Próximos Passos

A decisão do TRE-AP gera um impacto significativo no cenário político local e nacional, especialmente no contexto da representação indígena e do uso de verbas eleitorais. A defesa de Silvia Waiãpi deverá analisar o julgamento e decidir os próximos passos, que podem incluir recursos legais para contestar a cassação do mandato.

A situação de Silvia Waiãpi destaca a importância da transparência e do uso adequado de recursos públicos, além de suscitar debates sobre a ética na política e o papel das instituições eleitorais na fiscalização dos candidatos.

Para mais atualizações sobre este e outros assuntos importantes, siga a gente no Google News

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1069

Deixe um comentário