Logo
Virou notícia, virou Tag!

Youtuber é assassinada pelo próprio pai em defesa da ‘honra da família’

A vida e tragédia da jovem YouTuber iraquiana Tiba al-Ali, cuja história lançou luz sobre os desafios enfrentados pelas mulheres em um país conservador

Facebook
Twitter
LinkedIn
Youtube Tiba é morta pelo pai (Foto: Reprodução / Tag Notícias)

Tiba al-Ali, uma YouTuber iraquiana jovem, vibrante e alegre, alcançou um enorme sucesso com seus vídeos divertidos sobre sua vida. Ela lançou seu canal em 2017, aos 17 anos, depois de se mudar de seu país natal, o Iraque, para a Turquia.

Em sua plataforma, ela compartilhava insights sobre sua independência, seu noivo, maquiagem e vários outros tópicos. Tiba parecia genuinamente feliz, e seus vídeos acumulavam dezenas de milhares de visualizações.

Leia também: Corpo enrolado em lençol é jogado em parque de Goiânia

Em janeiro deste ano, ela voltou ao Iraque para visitar sua família — tragicamente, ela foi morta pelo próprio pai. Chocantemente, o assassinato não foi classificado como “premeditado”, e seu pai recebeu uma pena de apenas seis meses de prisão.

A morte de Tiba desencadeou protestos em todo o Iraque, jogando luz sobre a questão dos “crimes de honra”. Também expôs as difíceis condições enfrentadas pelas mulheres em um país extremamente conservador.

Leia também: Torcedores flagram casal fazendo sexo da janela de apartamento com vista para estádio

‘Estrangulada enquanto dormia’ Tiba havia acumulado um grande número de seguidores online, com mais de 20.000 assinantes, um número que continuou a crescer após sua morte. Ela postava vídeos diariamente e parecia desfrutar de sua nova vida na Turquia.

Em seu vídeo de estreia em novembro de 2021, ela explicou que havia se mudado para o país para aprimorar seus estudos, mas decidiu ficar porque gostava de sua nova vida.

Segundo relatos, seu pai, Tayyip Ali, desaprovou sua decisão de deixar o país e se casar com seu noivo, nascido na Síria, com quem Tiba estava morando em Istambul.

Acredita-se que a YouTuber tenha se envolvido em uma discussão quando retornou ao Iraque para visitar sua família em Diwaniya, em janeiro.

Tayyip Ali supostamente estrangulou sua filha até a morte enquanto ela dormia em 31 de janeiro. Mais tarde, ele se entregou à polícia.

Um funcionário do governo local na província onde Tiba foi morta afirmou que Ali foi condenado a uma breve pena de prisão em abril.

Após o assassinato da YouTuber, centenas de mulheres foram às ruas no Iraque para protestar contra a legislação relacionada aos “crimes de honra”.

O Código Penal Iraquiano permite penas reduzidas em casos desse tipo se o crime for cometido sob provocação ou se o acusado alegar “motivos honrosos”.

Um porta-voz do Ministério do Interior do Iraque, o General Saad Maan, disse à BBC: “Ocorreu um incidente com Tiba al-Ali. Aos olhos da lei, é um incidente criminoso, e, de outras perspectivas, é um incidente relacionado a crimes de honra.”

O general acrescentou que Tiba e seu pai tiveram uma discussão acalorada durante a estadia dela no Iraque. Ele também mencionou que a polícia tentou intervir um dia antes do assassinato da YouTuber.

Quando questionado sobre a resposta das autoridades ao crime, Maan respondeu: “As forças de segurança lidaram com o caso com os mais elevados padrões de profissionalismo e aplicaram a lei. Iniciamos uma investigação preliminar e judicial, reunimos todas as provas e encaminhamos o processo ao Judiciário para a sentença.”

Daniel Vicente
Daniel Vicente
Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!