Vídeo: Suposta médica humilha motorista de aplicativo: “Empreguinho bosta”

TAG Notícias

No último domingo (6), um episódio chocante foi registrado em Anápolis, uma cidade localizada a 55 km de Goiânia, no Brasil, quando uma mulher, alegando ser médica, foi filmada humilhando um motorista de aplicativo durante uma corrida. O caso repercutiu nas redes sociais e na imprensa local, gerando indignação e debates sobre respeito e conduta nas plataformas de transporte.

Guilherme Gusmão, de 31 anos, era o motorista do aplicativo 99 Pop que conduzia a passageira na fatídica viagem. Segundo o relato de Guilherme, o GPS do carro apresentou um problema momentâneo, o que fez com que ele aguardasse a atualização da localização. Contudo, a passageira demonstrou impaciência e irritação, iniciando uma série de xingamentos e ofensas ao motorista.

Leia também: Grave acidente: Trem descarrila e deixa dezenas de mortos

“Pensa que eu dependo de R$ 8 seus?”, disse Guilherme ao tentar explicar a situação. “Pelo fato de você ser Uber, deve depender, porque você tá num empreguinho bosta, um empreguinho de merda desses. Eu sou médica”, respondeu a passageira, mostrando seu desprezo pela profissão do condutor.

O vídeo do incidente viralizou, expondo a atitude agressiva e desrespeitosa da passageira, que afirmou ser médica no momento da discussão. No entanto, após investigações, descobriu-se que nas redes sociais, ela se identifica como nutricionista e compartilha detalhes sobre sua especialidade e rotina de trabalho em um hospital. Essa informação gerou ainda mais indignação nas redes sociais e trouxe à tona questionamentos sobre a veracidade de sua profissão e o comportamento inadequado demonstrado durante a corrida.

Veja o vídeo:

Em nota, a plataforma 99 Pop se manifestou sobre o ocorrido, condenando qualquer tipo de discriminação e assegurando que tem uma política de tolerância zero em relação a essas condutas. A empresa bloqueou o perfil da passageira e ofereceu suporte e acolhimento ao motorista Guilherme.

A Polícia Civil também entrou em ação para investigar o caso e determinar as medidas cabíveis diante da humilhação pública promovida pela passageira.

Além disso, o Conselho Regional de Nutrição foi procurado para confirmar a identificação profissional da mulher, mas até o momento não se manifestou a respeito.

Leia também: Assistente de piloto fica pendurado em balão e despenca do alto

A história serviu como alerta para a importância do respeito mútuo e do tratamento digno entre passageiros e motoristas em aplicativos de transporte.

A relação entre ambas as partes deve ser pautada pelo respeito, cortesia e tolerância, evitando qualquer tipo de ofensa ou discriminação.

Esse triste episódio também destaca a relevância do uso das redes sociais como meio de exposição de comportamentos inadequados, levantando questões sobre responsabilidade e consciência no ambiente digital. O caso provocou debates sobre as consequências de ações impensadas, especialmente em situações de exposição pública.

Em suma, o episódio lamentável em Anápolis reforça a necessidade de construir uma sociedade mais empática e respeitosa, tanto no mundo real quanto no virtual, promovendo um ambiente de convivência harmoniosa e civilizada em todas as esferas da vida cotidiana.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1572