Veranico com calor e poluição é risco para a saúde de quem faz atividades ao ar livre

Professor de Medicina do Esporte dá dicas de como evitar problemas causados por essa combinação
verão fora de época

Exercitar-se ao ar livre é uma boa oportunidade para se conectar com a cidade e observar pessoas e cenários urbanos, além de ser uma atividade democrática e de pouco investimento. Basta ter um tênis, uma roupa confortável e disposição. Mas, praticar exercícios físicos durante este período de verão fora de época, o chamado “Veranico”, pode ser um risco à saúde, em caso de exposição ao calor, ao clima com pouca umidade e especialmente à baixa qualidade do ar.

Leia também: Influencer de 20 anos é alvo de operação contra ‘Jogo do Tigrinho’

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 13 milhões de pessoas morrem por ano devido à exposição aos fatores de risco ambiental. E o que é ruim deve ficar pior, porque as mudanças climáticas podem agravar ainda mais essa situação.

Cuidados

O coordenador do curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo e professor de Medicina Esportiva, Raphael Einsfeld, explica que alguns cuidados devem ser tomados para que uma atividade prazerosa não se transforme em um problema. “O ar possui 21% de oxigênio e, à medida em que são adicionadas partículas inaláveis finas, fica mais difícil de os pulmões absorverem o oxigênio necessário para as funções do corpo, ou seja, quanto mais poluição, menos oxigênio chega ao organismo e com isso menos o indivíduo fica capaz de performar”, explicou.

Receba nossas notícias em tempo real no whatsapp

As partículas inaláveis finas são poluentes com um diâmetro de menos de 2,5 micrômetros que podem entrar nos pulmões e na corrente sanguínea. Além delas, o monóxido de carbono, gás invisível e inodoro expelido pelos veículos automotores, é um risco para quem se exercita nas proximidades de áreas de grande trânsito, porque podem causar dor de cabeça, náusea, tontura e vômitos.

Einsfeld explica que, a partir desses fatores poluentes, a pessoa pode apresentar mais dificuldade para respirar e se sentir mais cansada e assim ficar mais predisposta a ter um mal súbito, “principalmente aqueles que já têm alguma patologia, como doença coronariana ou diabetes. Então, a probabilidade de um problema cardiovascular é muito alta, sem sombra de dúvida”, afirmou.

Siga a gente no Google News para ficar por dentro das últimas notícias!

A poluição também aumenta os riscos de problemas respiratórios, como tosse, dificuldade de respiração e infecções. A dica para pessoas mais sensíveis é que nesse caso o tempo destinado à prática esportiva seja reduzido. “Essa mistura de calor, baixa umidade e poluição faz com que contraindiquemos atividades ao ar livre, principalmente quando as temperaturas externas fiquem acima dos 25 graus. As atividades físicas devem ser feitas quando o sol não está a pino, no início da manhã ou no fim da tarde. Também recomendamos os parques, que são áreas mais arborizadas. Exercitar-se à noite, quando não há uma irradiação direta, é outra opção”, finalizou.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2075

Deixe um comentário