Vacina bivalente contra Covid encalha em postos e surpreende governo Lula

TAG Notícias

Em 2 meses, apenas 18% do público-alvo compareceu para imunização contra a covid-19

A imunização com a vacina bivalente contra a covid-19 está abaixo do esperado em comparação com a primeira fase da campanha de vacinação iniciada em janeiro de 2021, quando foi alcançado 90% do público-alvo em várias faixas etárias.

Até o momento, apenas 17,6% do público esperado compareceu aos postos para receber a vacina, o que corresponde a 9,7 milhões de doses aplicadas de um público-alvo estimado em 55 milhões de pessoas.

+ Marcos Mion condena fala de Lula sobre deficientes; veja o vídeo

A meta é alcançar 90% do público-alvo até o fim da campanha, mas não há prazo definido.

A vacinação bivalente no Brasil começou em 27 de fevereiro, após atraso em relação a outros países. Inicialmente, a ideia da Saúde era imunizar o grupo de risco em cinco fases, mas a baixa adesão levou à antecipação da vacinação para todos os integrantes desse grupo a partir de 18 de março.

Esse resultado frustrou um esforço do governo federal. O Ministério da Saúde colocou o tema vacinação como prioridade dos 100 primeiros dias.

“Enquanto [o governo anterior] oferecia vacina, havia um discurso oficial contra a credibilidade delas, o que alimentou um movimento que perdura até hoje. A gente imaginava que enfrentaria muita dificuldade, havia muita gente jogando contra. E, de fato, o número demonstra o tamanho da resistência criada. Mas a gente é otimista, a campanha ainda não acabou. Não podemos dizer que o país ficará só com essa cobertura.”, disse Éder Gatti, diretor do Departamento de Imunizações do Ministério da Saúde.

A situação mais crítica está no Norte, onde três estados apresentam a menor cobertura vacinal no país: Roraima, Acre e Amazonas.

Quem pode se vacinar com a bivalente

Idosos de 60 anos ou mais de idade;

Funcionários ou pessoas que vivem em instituições de longa permanência;

Indígenas, ribeirinhos e quilombolas;

Gestantes e puérperas;

Trabalhadores da saúde;

Pessoas com deficiência permanente;

Presos, adolescentes em medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional.

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1057