Logo
Virou notícia, virou Tag!

Urgente: PF prende Mauro Cid, ex-ajudante de Bolsonaro, e faz buscas na casa do ex-presidente

A Polícia Federal cumpriu nesta quarta-feira (3/5) 16 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão preventiva em Brasília e no Rio de Janeiro, no âmbito da Operação Venire
Facebook
Twitter
LinkedIn
PF prende Mauro Cid, ex-ajudante de Bolsonaro, e faz buscas na casa do ex-presidente
PF prende Mauro Cid, ex-ajudante de Bolsonaro, e faz buscas na casa do ex-presidente

A Polícia Federal cumpriu nesta quarta-feira (3/5) 16 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão preventiva em Brasília e no Rio de Janeiro, no âmbito da Operação Venire

O ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, tenente-coronel Mauro Cid, teve mandado de prisão expedido contra ele e houve busca e apreensão em casa do ex-presidente na capital federal. A ação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

A operação investiga uma associação criminosa que teria inserido dados falsos de vacinação contra a Covid-19 nos sistemas do Ministério da Saúde. Segundo a Polícia Federal, as inserções teriam ocorrido entre novembro de 2021 e dezembro de 2022, alterando a verdade sobre a condição de imunizado dos beneficiários, incluindo o próprio Jair Bolsonaro.

+ Alexandre de Moraes ordena que PF ouça presidente do Google após criarem link contra PL das Fake News

A PF afirmou que “tais pessoas puderam emitir os respectivos certificados de vacinação e utilizá-los para burlarem as restrições sanitárias vigentes imposta pelos poderes públicos (Brasil e Estados Unidos) destinadas a impedir a propagação de doença contagiosa, no caso, a pandemia de Covid-19. A investigação indicou que o objetivo do grupo seria manter coeso o elemento identitário em relação às suas pautas ideológicas, sustentando o discurso voltado aos ataques à vacinação contra a Covid-19.

As ações ocorrem no âmbito de inquérito policial que apura a atuação de “milícias digitais”, em tramitação no STF. Os crimes investigados são infração de medida sanitária preventiva, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informação e corrupção de menores.

 

 

O nome da operação, Venire, deriva do princípio “Venire contra factum proprium”, que significa “vir contra seus próprios atos”. É um princípio-base do direito civil e do direito internacional, que veda comportamentos contraditórios de uma pessoa.

 

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.