Logo
Virou notícia, virou Tag!

“Última coisa que quero é fazer parte desse governo”, diz Jean Wyllys

Facebook
Twitter
LinkedIn
O ex-deputado federal Jean Wyllys (foto: reprodução - Tag Notícias)
O ex-deputado federal Jean Wyllys (foto: reprodução - Tag Notícias)

O ex-deputado federal Jean Wyllys deixou claro nesta sexta-feira que não possui intenção de ocupar qualquer cargo no governo federal. Em um desabafo em seu perfil na rede social X (antigo Twitter), ele fez críticas ao ministro Paulo Pimenta, que atualmente ocupa o cargo de titular da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, pasta na qual, em junho, o Palácio do Planalto havia anunciado que Wyllys exerceria uma função.

Na época, Jean Wyllys havia acabado de retornar ao Brasil após um período de autoexílio na Europa. O convite para integrar o governo foi feito pela primeira-dama Rosângela da Silva, conhecida como Janja, que expressou sua alegria pelo retorno do amigo ao país. “Olha ele aqui outra vez. Dia de dar um abraço apertado no nosso Jean Wyllys e dizer pessoalmente como é bom tê-lo de volta. O Brasil é seu!”, escreveu Janja.

No entanto, as negociações não avançaram, especialmente após ocorrerem desentendimentos públicos entre o ex-deputado e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que está processando Jean por homofobia. Nos bastidores, a recusa à contratação de Wyllys é atribuída a Paulo Pimenta.

Nesta sexta-feira, Jean Wyllys se pronunciou em resposta a um comentário de um seguidor que sugeriu uma mobilização para derrubar o ministro e colocá-lo em seu lugar. O internauta especulou: “Vão até começar com a ideia que precisamos ter um homem gay no ministério. O cenário está montado. Estou com o Pimenta.”

Em sua resposta, Jean Wyllys deixou claro seu posicionamento: “Meu amor, a última coisa que eu quero nesta vida é integrar este governo. Com todo respeito e amor que tenho ao Lula, que me convidou para integrá-lo, eu repito: A ÚLTIMA COISA QUE EU QUERO NESTA VIDA É FAZER PARTE DESTE GOVERNO.”

Ele explicou que, quando considerou fazer parte do governo, foi por convite de Lula e Janja, e porque ainda não conhecia toda a verdade dos fatos. Porém, após obter mais informações, o convite não avançou, principalmente porque ele não é alguém que se submete a situações inaceitáveis e não se cala diante de irregularidades.

Jean Wyllys concluiu afirmando que o ministro Paulo Pimenta e seus colegas podem continuar exercendo seus cargos e fazendo o que bem entenderem, mas que ele não tem interesse em fazer parte disso. Ele encerrou sua mensagem reforçando seu apoio ao ex-presidente Lula, desde que as ações do governo não contrariem seus princípios. No entanto, estar no governo não é mais algo que o interessa. “Esqueçam-me”, finalizou.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.