Traída, cantora Iza anuncia separação durante a gravidez: entenda os impactos emocionais para gestantes

O caso da cantora trouxe à tona muitas dúvidas e ressaltou a necessidade de apoio para as grávidas em momentos de crise emocional
crise emocional

Em uma publicação recente nas redes sociais, a cantora Iza confirmou o fim de seu relacionamento com o jogador de futebol Yuri Lima. A separação ocorre em um momento delicado: Iza está grávida de seis meses, esperando sua primeira filha, Nala.

Leia também: Famosos que apoiam Biden pedem que ele retire candidatura

O anúncio trouxe à tona a importância do suporte psicológico para mulheres que enfrentam crises emocionais durante a gestação.

Veja o vídeo aqui:

Os impactos emocionais do divórcio durante a gravidez

A gravidez é um período marcado por intensas mudanças físicas e emocionais. Quando uma separação ocorre nesse contexto, os efeitos podem ser ainda mais devastadores. “A separação é sempre um momento difícil, mas, durante a gravidez, pode desencadear ou agravar problemas como ansiedade e depressão”, explica Rafaela Schiavo, psicóloga perinatal e fundadora do Instituto MaterOnline (@materonline no Instagram).

As mudanças hormonais, como o aumento da progesterona, já tornam as gestantes mais sensíveis e vulneráveis. Quando associadas a um divórcio, essas alterações podem intensificar sentimentos de estresse e insegurança. “O corpo libera mais cortisol, o hormônio do estresse, que aumenta a tensão e pode prejudicar a saúde tanto da mãe quanto do bebê”, alerta.

Receba nossas notícias em tempo real no whatsapp

A importância do suporte psicológico especializado

A psicologia perinatal é fundamental para ajudar gestantes a enfrentarem momentos de crise. Essa especialidade trabalha para prevenir e tratar problemas emocionais comuns durante a gestação e o puerpério, como depressão e ansiedade. “Sem suporte adequado, os riscos de complicações aumentam significativamente, afetando o desenvolvimento saudável do bebê”, diz Schiavo.

No Brasil, apesar da nova Lei 14.721 garantir assistência psicológica pelo SUS, ainda há carência de profissionais especializados. Menos de 1% dos psicólogos no país possuem formação em psicologia perinatal, o que limita o acesso ao suporte necessário. “Precisamos aumentar urgentemente o número de psicólogos perinatais para atender à demanda das gestantes e puérperas”, conclui a especialista.

Siga a gente no Google News para ficar por dentro das últimas notícias!

Para enfrentar os desafios emocionais de uma separação durante a gravidez, é essencial que a gestante conte com uma rede de apoio. Família, amigos e profissionais de saúde devem estar presentes para oferecer suporte, segundo Rafaela Schiavo. “É importante cercar-se de pessoas positivas e não hesitar em pedir ajuda quando necessário”.

Para mais informações sobre como acessar esses serviços pelo SUS, converse com seu obstetra sobre indicações de psicólogos perinatais.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 2075

Deixe um comentário