TikTok espião: App sabe mais da sua vida do que sua mãe e isso é preocupante

TAG Notícias

Antes da eclosão da pandemia, o TikTok era comumente considerado como uma mera curiosidade passageira.

No entanto, nos dias atuais, o aplicativo se tornou uma presença inegável, cativando quase 2 bilhões de usuários ao redor do mundo. Surgem indagações sobre o TikTok ser um potencial espião digital e, naturalmente, emerge a busca pela chave que desvenda seu notável êxito.

Leia também: WhatsApp Web testa bloqueio de tela com senha para garantir privacidade; saiba como ativar

Desvendando os mistérios por trás desse fenômeno, a empresa expôs detalhes cruciais sobre seu algoritmo, um esforço ampliado devido a suspeitas e até mesmo ameaças de restrições nos Estados Unidos. Conclusões preliminares podem ser traçadas: o TikTok incorpora uma exploração minuciosa de inteligência artificial e uma análise profunda de dados.

A plataforma analisa minuciosamente as preferências do usuário, fornecendo conteúdo altamente relevante. Esse engenhoso mecanismo resulta na montagem do feed principal, conhecido como “Para Você”. Com paralelos até mesmo à revolução do feed do Facebook, muitos consideram o TikTok como o catalisador da maior reviravolta cultural na era digital. Embora, é válido mencionar que a entrada do ChatGPT pode ter um impacto sutil nesta dinâmica, algo que só o tempo poderá elucidar.

Especialista brasileiro dissecando os rumores de espionagem do TikTok e mais

Explorando a fundo os estudos e conhecimentos atuais sobre o TikTok, Ronaldo Lemos, renomado advogado, apresentador e especialista em tecnologia, embarca em uma série de vídeos educativos no próprio TikTok. Esses vídeos serão compartilhados nos perfis do UOL no aplicativo, uma plataforma que já cativou mais de 80 milhões de usuários brasileiros.

@tilt_uol Nossos 3 segundos capturaram sua atenção? Vem entender como funciona a retenção na rede vizinha. @lemos_ronaldo 📱 UOL Prime: veja o melhor do jornalismo do UOL em uol.com.br/prime/⠀ #UOLprime #Tilt #RedesSociais #techtokbrasil ♬ som original – Tilt UOL

No vídeo inaugural, Lemos esclarece prontamente que as especulações de espionagem carecem de fundamento. Ele ilustra que o aplicativo é impulsionado por uma inteligência artificial avançada, singular em sua capacidade de aprender com precisão as preferências dos usuários por meio de análises detalhadas de dados.

Leia também: Robô LuzIA para WhatsApp passa de 2 milhões de usuários no Brasil

Nesse contexto, até os gestos no deslizar do dedo pela tela, os níveis de bateria e até mesmo o modelo do celular contribuem como dados processados pelo TikTok.

No entanto, o uso intensivo desse algoritmo também suscita debates acalorados. Os defensores da privacidade argumentam que o TikTok pode gerar ansiedade e depressão, tópicos que os próprios usuários abordam em seus vídeos, contribuindo para uma potencial fragmentação de nossa atenção.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1707