Pedágio Free Flow: Cobrança da tarifa sem cabine começa a valer nesta sexta-feira; saiba como funciona

TAG Notícias

Sistema encerra fase de testes na Rio-Santos e inicia cobrança com valor mínimo de R$ 4,10

A partir desta sexta-feira (31), a CCR RioSP, concessionária responsável por diversas rodovias em São Paulo, começará a cobrar as tarifas de pedágio pelo sistema Free Flow, que elimina as cabines físicas de pagamento. Depois de ter passado por uma fase de testes, os carros circulavam sem precisar efetuar o pagamento, mas agora isso mudará.

O sistema de cobrança automática é semelhante aos serviços já existentes, como Sem Parar e Veloe. A grande diferença é que não haverá cancela e nem limite mínimo de velocidade. Os motoristas poderão manter a velocidade máxima permitida na via sem precisar reduzir.

Para identificar o carro, o sistema terá duas opções. A primeira é uma TAG de radiofrequência instalada no para-brisa, como nos outros serviços do tipo. Nesse caso, o cliente receberá uma fatura mensal com a quantidade de pedágios que passou e seus respectivos valores.

+ Outback lança mega promoção de jantar para dois com menu completo por R$ 99

Além da TAG de radiofrequência, o sistema de cobrança Free Flow também terá uma opção em que o motorista passa pela praça de pedágio e o sistema faz a leitura da placa para incluir no sistema da CCR. As cobranças podem ser acessadas pelo site ou pelo aplicativo da concessionária, e o pagamento pode ser feito por cartão de crédito, PIX ou carteira digital.

No entanto, os motoristas que passarem pelo pedágio e não pagarem o valor terão uma infração grave de trânsito após 15 dias corridos. A infração resultará em cinco pontos na CNH do motorista e multa no valor de R$ 195,23.

Fonte: CCR RioSP
Fonte: CCR RioSP

O que você precisa saber

  • A partir desta sexta-feira (31), a CCR RioSP começará a cobrar tarifas de pedágio pelo sistema Free Flow, que não possui cabines físicas de pagamento.
  • O sistema de cobrança automática é semelhante aos serviços já existentes, mas permite que os motoristas mantenham a velocidade máxima sem precisar reduzir.
  • O sistema terá duas opções para identificar o veículo: a TAG de radiofrequência instalada no para-brisa ou a leitura da placa do carro pelo sistema.
  • As cobranças podem ser acessadas pelo site ou pelo aplicativo da concessionária, e o pagamento pode ser feito por cartão de crédito, PIX ou carteira digital.
  • Caso o motorista não efetue o pagamento após 15 dias corridos, será multado em R$ 195,23 e receberá 5 pontos na CNH.
Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1011