Logo
Virou notícia, virou Tag!
INTOLERÂNCIA

Pastor evangélico ataca Nossa Senhora Aparecida e a chama de “Satanás fantasiado de Azul”

Pastor atacou a imagem de Nossa Senhora e se revoltou com estátua da santa na entrada de cidade

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pastor chama Nossa Senhora Aparecida de Satanás (Foto: Reprodução / Tag Notícias)
Pastor chama Nossa Senhora Aparecida de Satanás (Foto: Reprodução / Tag Notícias)

Incomodado com a instalação de uma estátua de Nossa Senhora Aparecida na entrada de Bastos, uma cidade localizada a 550 km da capital paulista, um pastor evangélico expressou seu descontentamento, referindo-se a um dos maiores símbolos do catolicismo brasileiro como “Satanás disfarçado de azul”.

Sérgio Fernandes, líder da igreja Vida Nova, manifestou sua indignação com o uso de recursos públicos na criação da escultura durante um culto no domingo (1º). Ele declarou: “Colocaram uma escultura na entrada da nossa cidade que não representa a nós. Não tem relação conosco.”

Leia também: Flávio Dino aciona a Polícia Federal para investigar execução de irmão de Sâmia Bonfim

A fé evangélica não permite a adoração de santos, que é considerada idolatria. Nessa vertente cristã, apenas Jesus Cristo é reconhecido como o único mediador entre a humanidade e Deus. Portanto, os fiéis podem respeitar Maria e outras figuras canonizadas pela Igreja Católica, mas não lhes atribuir santidade.

O pastor disse que compreenderia uma homenagem à comunidade japonesa, que é significativa na cidade, mas não um ícone católico. Ele argumentou: “Quando alguém entra em Bastos e vê a bandeira do Brasil, a bandeira do Japão e o obelisco, tudo bem, isso é parte da cultura japonesa, parabéns. Mas não coloquem o Satanás disfarçado de azul na entrada da cidade. Não tragam maldições para nossa cidade. Isso é um ponto de conexão com o inferno. O espírito de idolatria não deve permanecer aqui. Eu não aceito.”

Veja o vídeo:

Pastor procurado

O pastor Sérgio Fernandes não foi encontrado para comentar sobre o caso.

Ataques semelhantes no passado já causaram tensões entre os dois maiores grupos religiosos do Brasil. O ápice dessa animosidade ocorreu em 1995, quando um bispo da Igreja Universal chutou uma estátua de Aparecida, descrevendo-a como “um bicho tão feio, tão horrível, tão desgraçado”. Esse incidente, conhecido como “chute na santa”, dominou as manchetes em um Brasil ainda predominantemente católico e resultou em ataques a templos da Universal.

Leia também: Funcionários de Metrô, CPTM e Sabesp decidem encerrar greve às 23h59 desta terça

Nossa Senhora Aparecida, uma das representações de Maria, mãe de Jesus, foi proclamada a padroeira do Brasil em 1931, por Getúlio Vargas, que tinha uma visão pouco religiosa e criticava a moral cristã. Os comentários do pastor de Bastos surgiram apenas duas semanas antes do Dia de Nossa Senhora Aparecida, celebrado no calendário nacional em 12 de outubro.

O prefeito de Bastos, Manoel Rosa (MDB), respondeu aos comentários do líder religioso, afirmando que “não havia necessidade de criar polêmica em uma situação que é considerada normal para nós”. Ele observou que a maioria das cidades brasileiras possui homenagens aos santos, a Jesus Cristo e ao Espírito Santo.

A estátua que causou a indignação de Fernandes foi instalada recentemente em um gramado na cidade. O prefeito Rosa explicou que alguns evangélicos haviam sugerido um tributo à Bíblia, que também foi atendido, com a inclusão de uma estátua da Bíblia e uma pomba branca, representando o Espírito Santo, na entrada da cidade.

Ele ressaltou que enfrentou ameaças judiciais devido à presença da imagem católica na área.

Daniel Vicente
Daniel Vicente
Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!