Pagamento de pensão tem mudança na declaração do Imposto de Renda 2024

TAG Notícias

A declaração do Imposto de Renda 2024 apresenta alterações significativas para aqueles que pagam pensão alimentícia. Neste ano, há uma nova obrigatoriedade na ficha de alimentando, referente à pessoa que recebe a pensão: é necessário informar obrigatoriamente o CPF dela, seja para residentes no Brasil ou no exterior.

O calendário do IR 2024 tem início em 15 de março, quando se abre o prazo para a entrega das declarações, junto com a disponibilização do programa para o preenchimento dos dados. O prazo para acertar as contas com o Fisco se estende até 31 de maio.

Leia também: Ciclistas pelados fazem manifestação em SP e pedem ‘mais amor, menos motor’

Quem recebeu valores superiores a R$ 30.639,90 no ano passado é obrigado a declarar. A Receita Federal espera receber um total de 43 milhões de declarações neste ano.

Outra mudança significativa envolve as informações adicionais sobre a pessoa que recebe a pensão. Em casos de pensão decidida por escritura pública em cartório, é necessário informar a data da lavratura. Já para o alimentando beneficiário de pensão judicial, é crucial fornecer a data da decisão.

José Carlos Fonseca, auditor-fiscal responsável pelo IRPF 2024, destaca: “Se há uma decisão judicial para pagamento de 30% do salário de pensão, essa dedução deve ser declarada, juntamente com a identificação do beneficiário, e as razões que o qualificam como alimentando, conforme a decisão judicial”.

O contribuinte que paga pensão pode deduzir os gastos realizados com o alimentando na declaração, contudo, somente as despesas estipuladas na sentença ou no acordo podem ser deduzidas.

Para saber quem deve declarar o IR em 2024, são considerados os seguintes critérios:

  • Recebimento de rendimentos tributáveis superiores a R$ 30.639,90;
  • Recebimento de rendimentos isentos e não tributáveis acima de R$ 200 mil;
  • Receita bruta por atividade rural superior a R$ 153.199,50;
  • Posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 800 mil;
  • Ganho de capital na alienação de bens ou direitos, ou operações em bolsas de valores, cuja soma seja superior a R$ 40 mil;
  • Compensação de prejuízos de anos anteriores;
  • Residência no Brasil a partir de qualquer mês até 31 de dezembro de 2023;
  • Opção pela isenção do Imposto sobre a Renda em ganho de capital na venda de imóveis residenciais, entre outros critérios.

Para mais atualizações sobre o Imposto de Renda 2024, siga a gente no Google News

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1069

Deixe um comentário