Logo
Virou notícia, virou Tag!

Mulher mata e esquarteja filha de 9 anos e esconde partes na geladeira

Justiça de SP decreta prisão preventiva de suspeita de matar filha, esquartejar corpo de criança e esconder partes em geladeira

Facebook
Twitter
LinkedIn
Geladeira em que o corpo esquartejado da criança foi encontrado (Foto: Reprodução)
Geladeira em que o corpo esquartejado da criança foi encontrado (Foto: Reprodução)

Neste domingo (27), o judiciário emitiu um decreto de prisão preventiva contra uma mulher de 30 anos, suspeita de matar sua própria filha, esquartejar o corpo e ocultar as partes na geladeira de sua residência em São Paulo.

A suspeita, identificada como Ruth Floriano, havia sido detida em flagrante pela Polícia Militar no sábado (26). De acordo com informações da Polícia Civil, ela admitiu ter esfaqueado Alany Izilda Floriano Silva.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) divulgou um comunicado informando que, após uma audiência de custódia realizada no domingo, a prisão em flagrante de Ruth Floriano foi convertida em prisão preventiva, o que significa que ela ficará detida por um período indeterminado.

Segundo relatos da polícia, indivíduos que anteriormente ajudaram Ruth em uma mudança descobriram partes do corpo da criança na geladeira da casa dela, localizada na residência de seu atual namorado, no bairro Aracati, Zona Sul da cidade.

Leia também: Vídeo: Ladrão é linchado por população no meio da rua após roubar encomenda de motoboy

Após essa descoberta, eles alertaram a polícia, que começou a procurar pela mãe. Ruth foi presa mais tarde na casa de seu ex-marido, na Zona Leste de São Paulo.

Em 26 de agosto, a mãe do namorado de Ruth entrou na casa da suspeita enquanto ela estava ausente e abriu a geladeira, encontrando os restos mortais de Alany.

A partir desse momento, ela acionou a polícia. A investigação ainda procura determinar quando e por que o crime foi cometido, já que Ruth deu diferentes versões sobre o assassinato de sua filha.

A vítima, Alany, nasceu em 6 de agosto de 2014. A criança é fruto de um relacionamento com um homem que reside atualmente em Atibaia.

O pai da criança não vivia com Ruth e Alany. As autoridades estão buscando ouvir o pai da criança como parte das investigações. O caso está sendo conduzido pelo 47º Distrito Policial, Capão Redondo.

Débora Carvalho
Débora Carvalho
Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!