Movimento Sem Terra fala em ocupar terras como forma de garantir a implementação de uma reforma agrária popular

TAG Notícias

MST enaltece vitória do presidente Lula e fala em combater concentração de terra

O MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, aprovou nesta semana um documento com as diretrizes do grupo para 2023, falando em ocupar terras como forma de garantir a implementação de uma reforma agrária popular.

Diz o movimento: “Viva a luta por Reforma Agrária Popular! Viva o direito legítimo dos povos em ocupar os latifúndios e romper as cercas da destruição. Seguiremos pisando ligeiro, rumo aos 40 anos do MST!”

As famílias do movimento se instalam como forma pressionar o governo a desapropriar áreas que não cumprem a função social e os acampamentos do MST são montados nessas propriedades até que a terra seja desapropriada pelo governo e concedida às pessoas que estão produzindo e desenvolvendo a agricultura.

Neste mesmo documento, o MST também celebra a vitória do presidente Lula (PT) , sugerindo que seu mandato do pode facilitar as ações dos sem-terra.

+ Preço da gasolina aumenta em 24 dias de governo Lula e brasileiro vai sentir no bolso

“As forças populares, que deram a vitória a Lula defendem um projeto popular de país, que enfrente a exploração, a opressão, a exclusão, a fome, a negação de direitos, a concentração de terra, a destruição ambiental e o envenenamento da natureza, dos alimentos, das águas e das pessoas”

Entre outros compromissos para 2023, está o de “enfrentar o modelo do agronegócio, que concentra terras, destrói a natureza, promove o desmatamento e nos envenena com agrotóxicos”.

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1011