Morre primeiro paciente a receber rim de porco em transplante

luto

Richard Slayman, o pioneiro humano a receber um rim de porco geneticamente modificado em um transplante, faleceu neste sábado (11) nos Estados Unidos, quase dois meses após o procedimento. A notícia foi confirmada pelo hospital responsável pela cirurgia e pela família do paciente.

Com 62 anos, Slayman passou pela cirurgia em 16 de março, realizada por um médico brasileiro no Hospital Geral de Massachusetts. A equipe médica expressou pesar pela perda e esclareceu que não há indicações de que o óbito esteja relacionado ao transplante.

Leia também: Gêmea de 7 meses que caiu de barco durante resgate é encontrada morta

Ao receber o rim, Slayman expressou gratidão por alcançar um momento tão aguardado em sua vida. No entanto, ele enfrentava uma série de desafios de saúde, incluindo doença renal em estágio avançado, diabetes tipo 2 e hipertensão, e estava em diálise havia sete anos.

O transplante de um rim de porco representou um avanço significativo na medicina, pois abordou a crise de escassez de órgãos enfrentada por milhares de pacientes em lista de espera para transplantes de rim.

O procedimento foi o resultado de cinco anos de pesquisa, em colaboração com a empresa eGenesis, focada em modificar geneticamente porcos para que seus órgãos fossem mais compatíveis com os humanos. A remoção de genes suínos problemáticos e a adição de genes humanos foram parte desse processo.

Antes do transplante em humanos, os órgãos foram testados em macacos para garantir segurança e eficácia. Após a aprovação regulatória do FDA, os médicos procederam com a cirurgia.

O médico brasileiro responsável pelo procedimento, destacou a importância do avanço na pesquisa do xenotransplante, ressaltando seu potencial para resolver a escassez de órgãos.

A família de Slayman expressou gratidão aos médicos por proporcionarem sete semanas adicionais ao paciente e destacou seu desejo de oferecer esperança a outros pacientes em situações semelhantes.

O transplante de rim de porco não apenas representa um marco na medicina, mas também oferece uma nova esperança para aqueles que aguardam por um órgão para sobreviver.

Para mais atualizações sobre avanços médicos e notícias de saúde, siga a gente no Google News

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1011

Deixe um comentário