Logo
Virou notícia, virou Tag!

Modelo de IA é capaz de roubar senha através do barulho do teclado

Modelo de Inteligência Artificial captura pelo microfone o som da tecla pressionada com uma impressionante precisão de 95%

Facebook
Twitter
LinkedIn
Modelo de IA aprendeu a identificar os diferentes sons que cada tecla faz (Foto: Pressfoto / Freepik)
Modelo de IA aprendeu a identificar os diferentes sons que cada tecla faz (Foto: Pressfoto / Freepik)

Pesquisadores da renomada Cornell University, nos Estados Unidos, fizeram uma descoberta alarmante que coloca em evidência a vulnerabilidade das senhas digitais diante da inteligência artificial (IA).

A equipe demonstrou que a IA tem a habilidade impressionante de adquirir senhas com uma precisão impressionante de até 95% simplesmente através do som da digitação captado pelo microfone de um dispositivo próximo.

O estudo se baseou em um treinamento meticuloso de um modelo de IA utilizando gravações de áudio de pessoas digitando em teclados. Através dessa abordagem, a IA aprendeu a diferenciar os distintos sons gerados por cada tecla ao ser pressionada.

No experimento, os pesquisadores conduziram um “ataque” ao utilizar o microfone integrado de um telefone posicionado próximo a um MacBook Pro.

O objetivo era capturar os sons das teclas digitadas no laptop por repetidas vezes. Para aprimorar ainda mais a precisão do processo, a equipe empregou o CoAtNet, um classificador de imagens baseado em IA.

Leia também: Robô LuzIA para WhatsApp passa de 2 milhões de usuários no Brasil

Quando os sons das teclas eram capturados pelo microfone, o modelo de IA conseguia identificar a tecla pressionada com uma impressionante precisão de 95%.

Além de testar essa abordagem com um teclado físico, a equipe também explorou a capacidade da IA de decifrar senhas digitadas durante chamadas de vídeo. Nos testes realizados através de plataformas como Zoom e Skype, a IA demonstrou uma taxa de precisão de 93% e 91,7%, respectivamente, na reprodução das teclas digitadas durante as chamadas.

Curiosamente, o volume sonoro da digitação demonstrou ter pouca influência no sucesso do ataque. A IA se baseia em identificar elementos como a forma da onda, a intensidade e o intervalo temporal de cada pressionamento de tecla.

Esse achado preocupante revela um potencial risco para a segurança das informações digitais, uma vez que o método pode ser executado utilizando equipamentos prontamente disponíveis no mercado. Cientistas envolvidos no projeto destacaram a importância dessa descoberta, alertando que indivíduos mal-intencionados poderiam facilmente posicionar um smartphone equipado com microfone próximo a um teclado para coletar senhas e outras informações confidenciais com a ajuda da IA.

Débora Carvalho
Débora Carvalho
Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!