Líder religioso é suspeito de estuprar criança de 10 anos após vídeo se masturbando ser divulgado

A Polícia Civil divulgou que Julierme da Silva Marques, um líder religioso de 44 anos, é suspeito de ter agredido sexualmente uma criança de 10 anos em Porangatu. As autoridades afirmam que ele pode ter feito vítimas em torno de 15 vezes.

A prisão de Julierme aconteceu após ele ser flagrado em um vídeo se envolvendo em atividades indecentes enquanto observava a menina (veja o vídeo abaixo). É importante mencionar que tanto a casa dele quanto a da vítima estavam localizadas no mesmo terreno da igreja que ambos frequentavam.

Leia também: Som da Liberdade: Tim Ballard é acusado de abuso sexual por grupo de mulheres

Em uma entrevista ao G1, o advogado de defesa do líder religioso declarou que seu cliente é inocente e que está tomando todas as medidas judiciais necessárias para provar isso. O advogado, Luciano Henrique, também mencionou que aguarda a conclusão do inquérito para apresentar evidências que sustentem a inocência de Julierme.

De acordo com o delegado Danilo Wendel, responsável pelo caso, as denúncias começaram a surgir após a divulgação do vídeo. Além de crianças, algumas vítimas eram adultas e incluíam uma do sexo masculino.

“Existem aproximadamente 15 vítimas diferentes, embora nem todas tenham optado por avançar com a denúncia; algumas delas entraram em contato conosco de forma anônima”, afirmou o delegado.

As investigações

As investigações também revelaram que Julierme se envolvia em atos indecentes na presença das vítimas. Portanto, cada caso será analisado para determinar se houve estupro ou apenas importunação sexual.

Segundo as investigações, a maioria das vítimas não frequentava a igreja onde Julierme era líder religioso, com exceção da criança de 10 anos.

Julierme era um líder de louvor na igreja que frequentava e também desempenhava funções administrativas dentro da instituição religiosa.

Devido ao alto número de vítimas, a Polícia Civil decidiu divulgar o nome e a foto do suspeito e forneceu informações para denúncias. Para denunciar, basta ligar para o número 197 ou entrar em contato pelo WhatsApp (62) 98598-7885.

Leia também: Com greve de Metrô e CPTM, São Paulo deve ter 3ª feira de caos

A instituição religiosa não teve seu nome revelado, o que impossibilitou o G1 de buscar uma declaração sobre o caso.

Relembrando o incidente envolvendo a criança, a prisão de Julierme ocorreu na terça-feira, 26 de [mês] no norte de Goiás. A investigação começou após a divulgação de um vídeo gravado por uma testemunha, que mostrava o homem tentando agarrar a criança.

“A criança conseguiu se desvencilhar nessa situação. Ele também a importunava verificando-a enquanto ela tomava banho, jogava uma lanterna na casa à noite e tentava entrar na casa, fazendo com que a menina precisasse trancar-se. Foram diversos atos”, disse o delegado.

A criança foi encaminhada para acompanhamento psicológico e, de acordo com o delegado, estava visivelmente abalada e traumatizada pelo incidente.

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1489