Logo
Virou notícia, virou Tag!

Justiça paga hoje R$ 2,3 bilhões em atrasados para beneficiários do INSS; veja se você está na lista

Facebook
Twitter
LinkedIn
foto: reprodução
foto: reprodução

O valor corresponde a atrasos e revisão de aposentadorias, auxílios-doença e pensões; data de pagamento depende de cada estado e tribunal

O Conselho da Justiça Federal (CJF) desembolsou R$ 2,3 bilhões em atrasados para beneficiários do INSS que tiveram a concessão ou revisão de seus benefícios concedidos pela Justiça.

Esses atrasados dizem respeito a processos previdenciários e assistenciais, tais como revisões de aposentadorias, auxílios-doença e pensões, entre outros, relativos a 88.908 processos e destinados a 257.904 pessoas, envolvendo 205.630 processos.

+ Natura vende Aesop para L’Oréal por US$ 2,5 bilhões e presidente escreve carta revelando motivo

Os valores pagos correspondem às RPVs (Requisições de Pequeno Valor) referentes ao mês de março deste ano, os quais são pagos em ações propostas no Juizado Especial Federal e limitados a até 60 salários mínimos, o que corresponde a R$ 78.120,00.

O montante total de R$ 3,1 bilhões foi repassado aos Tribunais Regionais Federais (TRFs) para quitar ações de 213.999 processos envolvendo 261.696 beneficiários, sendo R$ 2,3 bilhões destinados aos segurados da Previdência.

É importante destacar que a liberação dos recursos financeiros cabe aos TRFs de acordo com seus próprios cronogramas.

Para saber quando as contas estarão disponíveis para saque, é possível consultar as RPVs disponíveis no portal do Tribunal Regional Federal responsável ou entrar em contato com o advogado responsável pela ação.

Cada TRF é responsável pelo pagamento das RPVs de acordo com a região geográfica, sendo que os valores liberados para as RPVs da Justiça Federal de cada região podem ser consultados nos sites dos respectivos TRFs.

É dever da instituição financeira fornecer informações claras e adequadas sobre o crédito consignado antes de fechar o contrato, como o valor total financiado com e sem juros, as taxas de juros mensais e anuais, os acréscimos remuneratórios, moratórios e tributários, bem como o valor, a quantidade e a periodicidade das prestações, além da identificação e assinatura das partes. O consumidor deve receber uma cópia do contrato.

Daniel Vicente
Daniel Vicente
Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!