Logo
Virou notícia, virou Tag!

Justiça de SP penhora R$ 83 mil de Netinho de Paula por pressionar mulher na TV

A mulher, de acordo com a decisão judicial, passou por constrangimento público ao ser pressionada por Netinho a doar um rim para uma irmã

Facebook
Twitter
LinkedIn
Netinho de bens penhorados (Foto: Reprodução)
Netinho de bens penhorados (Foto: Reprodução)

O cantor Netinho de Paula teve aproximadamente R$ 83 mil retidos pela Justiça de São Paulo após ser condenado em um caso derivado de um processo movido por uma mulher que participou do programa “Domingo da Gente”, o qual ele apresentava na Record, em 2001.

A decisão judicial foi tomada devido à alegação de que a mulher experimentou constrangimento público quando Netinho a pressionou a doar um rim para sua irmã durante o programa. Ela havia ido ao programa para apoiar uma sobrinha que solicitava assistência financeira para uma cirurgia.

No entanto, durante o programa, Netinho chorou em frente à negativa da mulher, que alegou não poder se afastar do trabalho para realizar a cirurgia, pois dependia do emprego para sustentar suas filhas. Ela também expressou preocupação em perder o emprego caso aceitasse ser a doadora.

Leia também: Faustão entra para a fila única de transplante e pode esperar até 18 meses por um coração

A mulher relatou que, devido à “humilhação” experimentada no programa, sofreu insultos e agressões em locais públicos. Eventualmente, ela se submeteu à cirurgia e perdeu o emprego.

No processo, Netinho se defendeu, afirmando que a doação do rim foi uma ação voluntária e que não causou prejuízos a ninguém. Ele declarou que apenas se emocionou com a situação e questionou a suposta humilhação alegada pela mulher.

Netinho também informou à Justiça que, após ficar sabendo da demissão da mulher, buscou auxiliá-la, conseguindo para ela uma oportunidade de emprego.

No entanto, mesmo após a condenação a pagar uma indenização de R$ 162,9 mil com correções monetárias, Netinho não efetuou o pagamento, levando a Justiça a ordenar a penhora de seus direitos autorais no final do ano passado.

Inicialmente, a ordem era para a Associação Brasileira de Música e Artes (Abramus) depositar mensalmente 20% dos repasses de direitos autorais do cantor em uma conta judicial até que o valor total da indenização fosse atingido.

Porém, a associação explicou que não poderia cumprir tal determinação devido a outras penhoras já vigentes em processos anteriores envolvendo Netinho.

Diante disso, a Justiça prosseguiu com a penhora, desta vez atingindo três fundos de previdência do cantor, o que resultou nos R$ 83 mil, que serão direcionados à parte vencedora do processo. Possíveis outras penhoras podem ser realizadas para obter o restante do valor da indenização.

Débora Carvalho
Débora Carvalho
Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!