Governo do Rio Grande do Sul decreta situação de calamidade pública após ciclone

Nesta quarta-feira (6), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, assinou um decreto que declara situação de calamidade pública em decorrência do ciclone extratropical que devastou o estado entre os dias 3 e 6 de setembro. O decreto terá validade de 180 dias a partir de sua publicação.

O Rio Grande do Sul está enfrentando uma das piores tragédias climáticas de sua história, com um total de 37 vítimas fatais e nove pessoas ainda desaparecidas, de acordo com informações da Defesa Civil estadual. Além disso, 2.319 pessoas estão desabrigadas e 3.575 desalojadas. No total, quase 57 mil pessoas foram afetadas direta ou indiretamente pelo impacto do ciclone.

Leia também: Reservatório se rompe e água destrói casas, carros e deixa feridos em comunidade de Florianópolis

O governador Eduardo Leite sobrevoou as áreas afetadas na companhia do ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta. Leite também teve uma conversa telefônica com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que expressou sua solidariedade diante da situação.

O estado permanece em alerta devido às cotas de inundação de vários rios na região do Vale do Taquari. Além disso, é esperado que o rescaldo das chuvas chegue ao rio Guaíba, que banha a Grande Porto Alegre, durante o dia de quinta-feira (7).

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1605