Globoplay dá prejuízo de R$ 10 bilhões à TV Globo; diz jornalista

TAG Notícias

O streaming Globoplay, uma iniciativa relativamente jovem no mercado, desponta como uma das principais apostas da Globo para o futuro. No entanto, surgiram desafios significativos em relação aos investimentos realizados, transformando o setor em um verdadeiro desafio financeiro.

De acordo com fontes especializadas em tecnologia e streaming, consultadas nos últimos meses pelo renomado jornalista Ricardo Feltrin, estima-se que as perdas acumuladas pela Globo com o Globoplay desde 2015 alcancem cifras bilionárias.

As projeções indicam que o prejuízo pode variar entre impressionantes R$ 11 bilhões e R$ 16,8 bilhões. Entretanto, especialistas do mercado não descartam a possibilidade de essas estimativas estarem subestimadas. Por outro lado, a Globo encara esses números não como prejuízo, mas sim como um investimento estratégico.

Ao ser questionada sobre o assunto, a emissora optou por não se manifestar.

Adicionalmente, especialistas em análise financeira sugerem que a Globo pode estar ocultando essas perdas em suas demonstrações financeiras anuais, graças à sua nova empresa controladora, chamada de Uma Só Globo, na qual os números se mesclam. Uma evidência disso é que o termo “Globoplay” é mencionado apenas três vezes no balanço de 2022, em notas explicativas, sem nenhuma referência financeira específica.

Leia também: Globo anuncia 10 marcas patrocinadoras que estarão na transmissão da Copa do Mundo Feminina

Outra questão levantada pelo jornalista é o crescimento aparentemente abaixo do esperado do Globoplay, tanto em número de assinantes quanto em audiência. Embora o streaming da Globo alegue ter 20 milhões de usuários únicos ativos, ele não divulga, sob nenhuma circunstância, o número real de assinantes pagantes. Estima-se que esse número não chegue nem à metade da quantidade mencionada.

Vale ressaltar que o Globoplay oferece uma ampla variedade de conteúdo gratuito, porém muitas das produções em seu catálogo apresentam qualidade de áudio e vídeo inferior, além de serem reprises pouco atrativas. Como se não bastasse, o serviço enfrenta um desafio em termos de audiência: o Globoplay possui apenas um quinto da popularidade da Netflix e apenas um décimo quinto da audiência do YouTube.

Segue abaixo o ranking de Ibope (share) dos serviços de streaming:

Em % de todos os aparelhos ligados 24 horas dentro das residências

Youtube: 14,1%

Netflix: 4,2%

TikTok: 3,1%

Globoplay: 0,8%

Prime Video: 0,5%

Twitch: 0,3%

HBO Max: 0,3%

Outros: 0,5%

Total consumindo streaming: 23,8%
*Não contabilizados aparelhos usados para games

Fonte: Kantar Media, medição nacional do mês de maio de 2023

Daniel Vicente
Daniel Vicente

Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Artigos: 1764