Logo
Virou notícia, virou Tag!
FALINDO

Globo muda de retransmissora em AL, ataca Collor e sua TV: “Covarde”

TV Gazeta busca renovação de contrato com a Globo em meio a processo de recuperação judicial, enquanto a emissora carioca alega "conduta covarde"

Facebook
Twitter
LinkedIn
Globo e Fernando Collor (Foto: Reprodução)

Em meio a um processo de recuperação judicial, a TV Gazeta apresentou um pedido à TV Globo buscando a renovação do contrato de retransmissão em Alagoas.

Alega-se que esta medida seria crucial para evitar a falência do conglomerado de comunicação pertencente à família do ex-presidente Fernando Collor. O pedido, datado de 8 de novembro, teve a resposta da Globo anexada ao processo em 17 de novembro, conforme informações divulgadas pelo Uol.

Leia também: Tragédia: Três mulheres e uma adolescente são mortas em tiroteios em país

A TV Globo, por sua vez, comunicou à TV Gazeta, em 4 de outubro, sua intenção de encerrar a parceria de 48 anos no final de 2023. A justificativa apresentada foi a condenação de Collor pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por envolvimento em um esquema de corrupção.

A TV Gazeta encontra-se em recuperação judicial desde 2019. O contrato vigente entre as duas emissoras se encerra em 31 de dezembro, e a partir de 1º de janeiro de 2024, a Globo terá uma nova afiliada em Alagoas, o grupo Asa Branca, a menos que uma decisão judicial intervenha.

Em resposta ao pedido da TV Gazeta na Justiça, a Globo classificou a conduta da empresa de Collor como “covarde”. Alegou que a TV Gazeta não se preparou adequadamente para o término da relação contratual e acusou-a de usar argumentos de terror, atribuindo a responsabilidade pelos acontecimentos à Globo.

A emissora carioca também ressaltou que o foro para dirimir questões deveria ser o do Rio de Janeiro, não de Alagoas. Além disso, argumentou que manter a parceria geraria “gravíssimo dano reputacional” devido às condenações de Collor e do diretor da OAM por corrupção.

COLLOR CONDENADO

Collor foi condenado pelo STF a uma pena de 8 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em maio, após 16 anos sem mandato.

A TV Gazeta alega ter sido pega de surpresa, destacando investimentos desde 2010 e afirmando que a manutenção da relação contratual é vital para evitar a falência. A Globo refutou as alegações, ressaltando que informou oficialmente 90 dias antes do fim do contrato.

Durante o processo de recuperação judicial, a gestão das empresas do grupo de Collor foi questionada, com a renegociação de R$ 64 milhões em débitos com credores. Empréstimos não pagos, dívidas acumuladas e supostos novos empréstimos durante a recuperação levaram a OAM (Organização Arnon de Mello) a pedir recuperação judicial em 2019.

O plano de pagamento foi aprovado por credores em julho de 2022, mas não foi homologado pela Justiça devido a questionamentos legais.

TV Gazeta e Globo rompem contrato e canal pode falir (Foto: Reprodução)
TV Gazeta e Globo rompem contrato e canal pode falir (Foto: Reprodução)

 

Credores da área trabalhista denunciaram irregularidades, sugerindo a abertura de inquérito policial para investigar possível crime falimentar. O MP (Ministério Público) alegou que as empresas da OAM fizeram novos “empréstimos” aos sócios durante a recuperação, em um valor total de R$ 6,4 milhões. A Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o inquérito solicitado para investigar o caso.

Daniel Vicente
Daniel Vicente
Sou um entusiasta da informação, natural de Brasília. Atualmente, mergulho nos estudos de Ciências Políticas. Aqui, você encontrará análises aprofundadas sobre política, economia e assuntos globais. Vamos explorar juntos o vasto universo do conhecimento!

Deixe um comentário