Febre do Oropouche: Amazonas registra 1,6 mil casos e reconhece surto

TAG Notícias

O governo do Amazonas oficializou o reconhecimento do surto de Febre do Oropouche no estado após o registro alarmante de 1.674 casos da doença neste ano. Com sintomas assemelhados aos da dengue, como dores de cabeça, musculares e nas articulações, a preocupação com a propagação da arbovirose tem crescido na região.

A transmissão da Febre do Oropouche é atribuída principalmente a um mosquito conhecido popularmente como “maruim” ou “meruim”, que, mesmo sendo cerca de 20 vezes menor que o Aedes aegypti, vetor da dengue, apresenta potencial para disseminar a doença.

Leia também: Imposto de Renda 2024: Dá pra fazer a declaração mesmo não tendo feito nos anos anteriores?

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, o reconhecimento do surto ocorreu na última sexta-feira (1º), seguindo as diretrizes do “Guia para Investigações de Surtos ou Epidemias” do Ministério da Saúde. O aumento significativo no número de casos, além do esperado, fundamentou a declaração oficial.

A Febre do Oropouche é transmitida principalmente por mosquitos infectados com o vírus Orthobunyavirus oropoucheense (OROV), que, após picarem uma pessoa ou animal infectados, podem disseminar a doença ao picar outras pessoas saudáveis. Com sintomas semelhantes aos da dengue e chikungunya, como dores de cabeça, musculares e nas articulações, a identificação clínica torna-se desafiadora, destacando a importância da vigilância epidemiológica para diferenciação.

Descubra o poder do CANVA com o melhor curso em vídeo, do básico ao avançado e alavanque suas redes sociais

Embora não haja um tratamento específico para a Febre do Oropouche, medidas como repouso, tratamento sintomático e acompanhamento médico são recomendados. A prevenção segue estratégias similares às adotadas para evitar a dengue, enfatizando a importância de evitar áreas com alta concentração de mosquitos, utilizar roupas que protejam o corpo e aplicar repelente nas áreas expostas da pele, além de eliminar possíveis criadouros de mosquitos.

Fique por dentro das últimas notícias e atualizações. Siga a gente no Google News clicando aqui.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1727

Deixe um comentário