Falindo? Renner fecha lojas e emite comunicado do que tá acontecendo

O comando da empresa admitiu ter cometido erros de análise e tomado decisões equivocadas.
TAG Notícias

O comando da empresa admitiu ter cometido erros de análise e tomado decisões equivocadas

A Renner, uma das maiores varejistas de moda do país, enfrenta dificuldades em 2023 devido ao aumento da inadimplência e à queda nas vendas. Segundo a diretoria financeira da empresa, as contas em atraso com mais de 90 dias tiveram uma alta de 0,8% e o número de débitos vencidos passou de 22,1% no primeiro trimestre de 2022 para 28,3% neste ano. A perda líquida também teve alta de 3,5% para 5,6%. Além disso, o bom pagador, aquele que compra parcelado mas paga em dia, está resistente em fazer compras.

Essa situação fez com que a Renner fechasse 20 lojas de suas marcas no primeiro trimestre, resultando na demissão de funcionários. O comando da empresa admitiu ter cometido erros de análise e tomado decisões equivocadas. A Renner decidiu então fechar algumas de suas lojas, especialmente aquelas que podiam ser absorvidas por outras, a fim de obter maior eficiência e reduzir custos. A empresa não revelou quantos trabalhadores foram demitidos, mas afirmou que alguns foram realocados e outros, dispensados.

+ Em crise, Bombril fecha acordo milionário na justiça para pagar a dívida exorbitante

Das 20 unidades que tiveram suas atividades encerradas, foram 13 da Camicado, quatro da Renner e três da Youcom. A Camicado foi a mais afetada, já que houve uma queda acentuada no segmento de casa e decoração após a pandemia.

Apesar desses resultados negativos, a Renner prevê que, ainda em 2023, serão inauguradas entre 15 e 20 lojas Renner, sendo que 75% dessas serão implantadas em novas localidades. Além disso, serão lançadas cerca de 10 a 15 lojas da Youcom e cinco Ashua.

A empresa também inaugurou um novo centro de distribuição em Cabreúva, no estado de São Paulo, o que irá aumentar as despesas da companhia no segundo trimestre. Nos primeiros três meses deste ano, as despesas com vendas, gerais e administrativas tiveram alta de 8,8%, enquanto a receita líquida foi de 2,2%.

Mesmo com tantos desafios, a Renner acredita que conseguirá encerrar 2023 com uma leve alta na margem bruta, devido aos resultados do segundo semestre deste ano, quando prevê que a demanda será melhor e verá os resultados da revisão estratégica que está promovendo.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1896