Falência: Cervejaria Petrópolis, dona da Itaipava, quebra com dívidas de R$ 4 bilhões

TAG Notícias

As dívidas da companhia somam R$ 4,2 bilhões e desse total, 48% são para financeiras e 52% para fornecedores e terceiros

O Grupo Petrópolis, proprietário de marcas famosas como Itaipava, Crystal e Petra, entrou com um pedido de recuperação judicial na Justiça do Rio na segunda-feira, 27.

No dia seguinte, a 5ª Vara Empresarial da Justiça do Rio concedeu uma medida cautelar para adiantar os efeitos da recuperação judicial solicitada pelo grupo do setor de bebidas da Região Serrana.

O que você precisa saber

  • Grupo Petrópolis entra com pedido de recuperação judicial na Justiça do Rio
  • Medida cautelar é deferida pela 5ª Vara Empresarial da Justiça do Rio para antecipar os efeitos da recuperação judicial
  • As dívidas do grupo chegam a R$ 4,2 bilhões
  • Decisão impede a cobrança de dívidas do grupo e nomeia os administradores judiciais, Preserva-Ação e Zveiter Advogados, responsáveis pela recuperação fiscal da Americanas
  • Grupo enfrenta crise de liquidez há 18 meses devido à redução de receita

+ Justiça decreta falência da Pan e, fabricante das famosas moedas de chocolate, fecha as portas

De acordo com o Grupo Petrópolis, o aumento dos juros básicos da economia, sendo que a taxa Selic hoje é de 13,75%, vem gerando um impacto de aproximadamente R$ 395 milhões por ano no fluxo de caixa do grupo.

“A combinação desses fatores, exógenos e alheios ao controle das requerentes, gerou uma crise de liquidez sem precedentes no Grupo Petrópolis, que comprometeu seu fluxo de caixa a ponto de obrigá-lo a buscar a proteção legal com o ajuizamento deste pedido de recuperação judicial”, diz trecho um da petição assinada pelos escritórios Salomão Sociedade de Advogados e Galdino & Coelho.

Na petição apresentada à Justiça do Rio, de acordo com os advogados de defesa, “este pedido de recuperação judicial está sendo ajuizado em regime de urgência, para evitar os gravosos e nefastos efeitos que o vencimento de parcela ‘bullet’, no valor de R$ 105 milhões, decorrente da operação. Essa parcela com vencida em 27/03/2023, provocará o vencimento antecipado das demais operações existentes, resultando na pronta liquidação dos recursos travados na conta vinculada e tentativa de apropriação dos recebíveis do Grupo Petrópolis que ira o ingressar na referida conta nas próximas semanas”.

Débora Carvalho
Débora Carvalho

Uma apaixonada por histórias e uma contadora nata. Com base em Belo Horizonte, curso Jornalismo e alimento minha curiosidade incessante por notícias e cultura pop. Se você procura uma abordagem vibrante e envolvente, está no lugar certo!

Artigos: 1045