Logo
Virou notícia, virou Tag!

Denilson anuncia acordo com Belo por dívida de 20 anos: “Encerrado esse assunto”

Os valores envolvidos na resolução do conflito judicial não foram divulgados por nenhuma das partes

Facebook
Twitter
LinkedIn
A controvérsia entre Denilson e Belo teve início em 1999 (foto: reprodução redes sociais - Tag Notícias)
A controvérsia entre Denilson e Belo teve início em 1999 (foto: reprodução redes sociais - Tag Notícias)

Depois de duas décadas de afastamento, o ex-jogador Denilson anunciou na sexta-feira, dia 11, que ele e o cantor Belo fizeram as pazes em relação a uma dívida milionária que pesava sobre o cantor.

“O cantor Belo e eu conversamos e, de forma amigável, chegamos a um acordo. É de suma importância ressaltar a todos que nossas divergências nunca foram pessoais, ao contrário, elas eram – e portanto não são mais – no campo jurídico. Como homens, adultos e profissionais que somos, era importante colocar fim a esse imbróglio que nos afastava há mais de 20 anos. Hoje, com alegria, damos por encerrado esse assunto. Muito obrigado a todos os envolvidos. Agora é olhar pra frente. Acabou!”, afirmou Denilson em suas redes sociais.

Leia também: ‘Não estou quebrado’, diz Cafu após mansão de R$ 27 milhões ir a leilão

O ex-jogador compartilhou a postagem feita pelo atual comentarista da Band. Entretanto, os valores envolvidos na resolução do conflito judicial não foram divulgados por nenhuma das partes.

Entenda o caso

A controvérsia entre Denilson e Belo teve início em 1999, quando Denilson adquiriu parte dos direitos do Soweto, que era o principal grupo de pagode naquela época e que foi responsável por lançar Belo ao estrelato no Brasil. Na parceria, o ex-jogador assumiu o compromisso de financiar as despesas da banda e, em troca, receberia uma porcentagem dos lucros gerados pelos shows e pelas receitas de direitos autorais. Segundo relatos, Denilson investiu cerca de R$ 1 milhão para integrar o grupo, que tinha hits memoráveis como “Farol das Estrelas” e “Derê”.

A situação tomou um rumo inesperado em 2000, quando Belo decidiu deixar o Soweto e seguir carreira solo. Com a saída do líder, o grupo enfrentou uma queda na demanda por seus shows, o que resultou em cancelamentos e outros contratempos com apresentações já agendadas. Nesse mesmo ano, Denilson recorreu à Justiça, alegando que o cantor deveria pagar uma indenização pela saída, baseada em uma multa supostamente prevista no contrato.

Em 2004, Denilson obteve vitória no processo judicial, e Belo foi condenado a indenizá-lo. O juiz determinou que o cantor havia rompido o contrato de maneira unilateral. Na época, o veredicto resultou em um pagamento de R$ 388 mil.

Mesmo após a sentença, a equipe jurídica de Denilson lutou durante 19 anos para que a ordem judicial fosse executada. Durante esse período, não foram encontrados bens em nome do cantor, o que dificultou ainda mais a quitação da dívida. A alternativa encontrada foi confiscar cachês e royalties de direitos autorais, mas esses recursos não foram suficientes para cobrir o montante, que agora ultrapassa os R$ 7 milhões, considerando juros e correções monetárias.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira
Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.